Saeed Khan/AFP
Saeed Khan/AFP

Após estreia na Copa, Marquinhos elogia Bélgica e celebra chance na seleção

Zagueiro entrou no fim em vitória sobre o México, pelas oitavas de final

Leandro Silveira, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 19h34

Ao entrar em campo aos 45 minutos do segundo tempo do triunfo do Brasil por 2 a 0 sobre o México, em substituição a Willian, Marquinhos se tornou o 18º jogador a ser utilizado por Tite durante a Copa do Mundo da Rússia. O zagueiro celebrou o sonho realizado de atuar na competição e também exaltou as opções que o treinador pode utilizar durante as partidas, lembrando que Fernandinho e Roberto Firmino, que também deixaram o banco de reservas, foram importantes para o segundo gol brasileiro, marcado pelo atacante do Liverpool, em Samara, na última segunda-feira.

+ Saiba quais são os jogos e horários das quartas de final da Copa do Mundo

+ Recuperado, Douglas Costa treina e vai reforçar a seleção contra a Bélgica

"Cada jogo apresenta um diagnóstico diferente e é por isso que ele tem no banco peças qualificadas para isso. Às vezes ele precisa de um zagueiro que vai ajudar um pouco na bola aérea, onde eles estavam investindo bastante neste final de jogo. Ele precisava de um volante um pouco mais marcador, o Paulinho acabou sentindo e aí entrou o Fernandinho. Entra o Firmino com 40 minutos. E no segundo gol a gente vê o Fernandinho recuperando a bola e o Firmino fazendo o gol lá na frente. Então acho que essa é a importância. Somos todos soldados do nosso Brasil e estamos aqui para servir a seleção brasileira e dar alegria para essa nação que assiste a gente", disse, em entrevista à CBF TV.

Marquinhos foi titular da zaga da seleção brasileira durante boa parte da era Tite, iniciada no segundo semestre de 2016, mas acabou perdendo a sua vaga durante a preparação para a Copa, quando o treinador definiu Thiago Silva como companheiro de Miranda no setor defensivo. Nada, porém, que tirasse a felicidade de Marquinhos por poder participar da Copa do Mundo. "Para mim foi especial, porque foi a primeira, mesmo que sejam ali alguns minutinhos. Mas espero que sejam os primeiros de muitos com essa camisa maravilhosa", afirmou.

A seleção brasileira voltará a entrar em ação na próxima sexta-feira, quando vai enfrentar a Bélgica, em Kazan, pelas quartas de final da Copa. E Marquinhos foi mais um jogador a exaltar o poderio do adversário, que marcou 12 gols em seus quatro primeiros jogos na Rússia.

 

"Mais um jogo decisivo. Mais uma final que a gente tem. Um jogo com uma seleção muito qualificada. Um geração belga muito boa. Conheço alguns jogadores, já os enfrentei, então eu sei da qualidade que é. Vamos analisar os pontos fortes, os pontos fracos. É saber que temos nosso padrão de jogo, que a gente não deve mudar muita coisa, mas entrar em campo da mesma maneira que a gente vem fazendo", comentou.

Nesta terça-feira, apenas os reservas da seleção, incluindo Marquinhos, foram a campo para o treino da seleção em Sochi, o primeiro após o triunfo sobre o México. A equipe volta a treinar nesta quarta-feira, às 11 horas (de Brasília), com a presença de todo o elenco.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.