Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Após experiência no Palmeiras, goleiro Bruno admite ser técnico

Atleta foi responsável por dar instruções aos jogadores no jogo contra o XV de Piracicaba

Agência Estado

06 de fevereiro de 2014 | 19h41

SÃO PAULO - Reserva de Fernando Prass, Bruno não entrou em campo nesta quarta-feira para enfrentar o XV de Piracicaba, mas foi fundamental na vitória por 2 a 1. Isso porque, como o técnico Gilson Kleina e o auxiliar Juninho foram expulsos, o goleiro é quem comandou o time do Palmeiras por alguns minutos, enquanto o preparador físico Fabiano Xhá aquecia alguns reservas.

Aos 29 anos, Bruno admite que admite ser treinador no futuro. "Fiz curso de educação física pensando no meu futuro. E, se eu disser que nunca pensei em ser treinador ou auxiliar, estarei mentindo. Se não for isso, cogito também um cargo burocrático", comentou goleiro.

Apaixonado por futebol americano, ele fez recentemente um curso online de esportes e sociedade na Universidade de Duke, nos Estados Unidos. Quando a chance de ser treinador apareceu, Bruno não a desperdiçou.

"O Gilson e o presidente Paulo Nobre brincaram bastante comigo após o jogo. Os jogadores também, me chamaram de professor. E eu falei que estou à disposição se precisarem (risos). Mas, falando sério, orientações para os companheiros eu sempre dei. Todos os jogadores respeitam, sabem que é para o bem do Palmeiras", ressaltou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasPaulistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.