Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Após expulsão, Dudu muda de postura e evolui no Palmeiras

Atacante demonstra mais tranquilidade em campo

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2015 | 07h00

A expulsão na decisão do Campeonato Paulista parece ter ligado um sinal de alerta para o atacante Dudu. Desde o dia em que empurrou o árbitro Guilherme Ceretta e foi punido com 180 dias de suspensão - tem atuado sob efeito suspensivo -, o jogador mudou de postura com a camisa do Palmeiras. Está mais calminho. Após o cartão vermelho recebido na Vila, Dudu disputou 15 jogos, recebeu dois cartões amarelos e marcou três gols. O técnico Marcelo Oliveira disse algumas vezes que conversou com o atacante assim que chegou ao clube e lhe passou tranquilidade.

Além da polêmica no estadual, algo que atrapalhou o jogador quando chegou ao clube foi a pressão em cima de seu futebol pelo que o Palmeiras gastou para contratá-lo. O Alviverde pagou R$ 9,5 milhões por 50% dos direitos federativos do atleta e já acertou a mesma quantia pela outra metade, que deve ser paga no começo do ano que vem.

Com o tempo e jogando sob o efeito suspensivo, Dudu tem conseguido administrar as cobranças, que diminuíram bastante após a chegada de diversos outros jogadores ao time. A responsabilidade acabou sendo distribuída, embora ele continue sendo um dos atletas mais caro do elenco. O julgamento no pleno do STJD, onde não caberá recurso mais, sobre a suspensão do atacante ainda não tem data marcada. O Palmeiras espera reverter a pena para suspensões em jogos, que só serão válidos no Paulista do ano que vem.

A boa fase do Palmeiras também ajudou a tranquilizar o atacante. O time é terceiro colocado no Brasileiro, com oito partidas sem perder, e agora espera pelo sorteio dos jogos das oitavas de final da Copa do Brasil. Os gols têm aparecido e a confiança tomou conta de todos. Neste domingo, às 11h, o Palmeiras recebe o Atlético-PR com casa cheia. Todos os ingressos colocados à venda na internet foram comprados. As bilheterias do clube não abriram sequer.

Mais conteúdo sobre:
PalmeirasFutebolBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.