Após expulsão, Souza festeja primeiros gols pelo Flu

Autor de dois gols do Fluminense na vitória por 3 a 1 sobre o Macaé, na última quinta-feira, no Engenhão, pelo Campeonato Carioca, o meia Souza festejou a sua primeira boa atuação com a camisa do clube, depois de ter amargado uma expulsão diante do Bangu, em seu jogo de estreia pela equipe comandada pelo técnico Muricy Ramalho.

AE, Agência Estado

28 de janeiro de 2011 | 10h17

"Essa estreia é a que planejava em minha cabeça, mas na de verdade acabei decepcionado o torcedor. Nunca fui de ser expulso, ainda mais no primeiro tempo, ainda assim Muricy me deu mais uma chance. Em 2009 fui o vice-artilheiro pelo Grêmio e marquei dois gols em algumas partidas, mas não sou de marcar muitos gols, pois minha característica é de dar passes", comemorou Souza, que ao mesmo tempo evitou o clima de euforia ao falar sobre as chances de se firmar como titular do time.

"Hoje (quinta-feira) sim estou mais aliviado, mas a amanhã (sexta) já começa novamente. Não adianta se iludir achando que fiz dois gols e está bom. Estou feliz por ter tido outra chance do Muricy e fazer dois gols e ajudar os meus companheiros, mas o trabalho não pode parar nunca", enfatizou.

Muricy, por sua vez, elogiou Souza por sua boa partida e lembrou que desta vez o jogador foi fiel às suas características. O treinador ainda destacou que o gol de falta marcado pelo meio-campista diante do Macaé foi fruto de seu esforço nos treinos. "O Souza jogou pouco da outra vez e eu disse que ele não tem que dar carrinho, pois não é de fazer isso. Ele e Marquinho treinam muito e isso faz termos esperanças quando acontece uma falta ali. É a recompensa pelo treinamento", opinou o treinador.

Mas, apesar da boa atuação de Souza, Muricy deixou claro que não pensa em escalar um meio-campo ofensivo, com as presenças de Souza, Deco e Conca. Com isso, o primeiro deles terá de brigar por uma posição na equipe com os dois fortes concorrentes.

"Para jogar com um time assim teremos que combinar com o adversário, ai sim pode ser, mas infelizmente não acontece assim. Temos que ter jogadores que joguem e não deixem jogar, até o Barcelona é assim", enfatizou o comandante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.