Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Após falhas de Denis, camisa 1 preocupa o São Paulo

Sidão se recupera de lombalgia e Renan Ribeiro pode estrear no sábado

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2017 | 12h19

As falhas de Denis na derrota para o Palmeiras sábado, por 3 a 0, no Allianz Parque, reacenderam a discussão sobre o goleiro ideal do São Paulo. Mesmo após ter admitido a falha no terceiro gol, o goleiro deve ser mantido na partida contra o ABC, pela Copa do Brasil, às 19h30. O técnico Rogério Ceni pretende dar um voto de confiança depois de declarar que não houve falha no gol feito por cobertura por Dudu.

"O Denis tomou o gol numa saída de bola. Ele abriu para sair e tocar, dar opção para o zagueiro... Ele não estava adiantado, como eu estava no jogo em que tomei aquele gol. Eu tirei a bola fora da grande área, e o Robinho dominou e fez o gol. Hoje, o Dudu foi muito rápido. Naquele momento, o Denis estava lateralizado, e não adiantado – disse o treinador após o clássico.

Com isso, Ceni não deve alterar os planos e a estreia de Renan Ribeiro em 2017 será mantida para sábado, diante do Ituano, conforme programação prévia da comissão técnica. Renan Ribeiro não teve chances nesta temporada. Ele sofreu lesão na coxa esquerda, no início da pré-temporada, nos Estados Unidos, e foi relacionado pela primeira vez contra o São Bento, no dia 21 de fevereiro. Nas redes sociais, torcedores do São Paulo pedem uma chance para o jogador de 26 anos.

Sidão ainda se recupera de lombalgia, mas tem chances de voltar. Na semana passada, o médico José Sanchez informou que a programação era tirá-lo justamente de duas partidas (Palmeiras e ABC). Antes da lesão, Sidão também era criticado e admitiu erros nas vitórias sobre a Ponte Preta e Santos.

Independentemente do goleiro escolhido, a camisa 1 virou motivo preocupação. O São Paulo sofreu 20 gols em 11 jogos: 14 com Sidão, utilizado em sete jogos e seis gols foram sofridos por Denis, em quatro partidas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.