Bruno Cantini/Atlético-MG
Bruno Cantini/Atlético-MG

Após fazer volta em clássico, Edinho espera ter sequência no Atlético-MG

Atacante ficou dois meses sem poder jogar por causa de uma lesão

Redação, Estadao Conteudo

19 de setembro de 2018 | 18h54

O clássico do último domingo com o Cruzeiro terminou empatado em 0 a 0, mas foi importante para um jogador do Atlético Mineiro. Ao entrar em campo na reta final do segundo tempo, no Mineirão, o atacante Edinho encerrou uma inatividade de dois meses, após ter o seu início de passagem pelo clube atrapalhado por uma lesão.

Destaque do Fortaleza no primeiro semestre, Edinho foi contratado pelo Atlético-MG durante a pausa do Campeonato Brasileiro. Só que uma lesão muscular na coxa esquerda o tirou da sua primeira partida no novo time, o duelo com o Grêmio, disputado em 18 de julho, aos 34 minutos do primeiro tempo. E a sua volta demorou a acontecer, algo que o vinha incomodando.

"Eu vinha tendo uma boa sequência muito boa jogando no Fortaleza e fiquei decepcionado pela lesão, mas tudo na vida tem um propósito e não posso lamentar. Estou recuperado e, agora, é um recomeço, buscar meu espaço a cada dia e recuperar a confiança de todos, principalmente a minha. Agora, é dar sequência e treinar forte para voltar aos 100% na parte física", comentou, em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira, na Cidade do Galo.

A contratação de Edinho foi uma das realizadas pelo Atlético-MG para compensar a perda de Róger Guedes, que se transferiu ao futebol chinês. E embora ainda não tenha conquistado a titularidade, ele esperar convencer o técnico Thiago Larghi com bom desempenho nos treinos, exibindo sua velocidade e dribles.

"Nós, jogadores, quando estamos na reserva, a gente se cobra bastante porque quer jogar. A gente respeita quem está jogando, mas luta por uma vaga no time titular. Então, quem quer jogar tem que se entregar um pouco mais. É isso que estou buscando no dia a dia e creio que logo estarei 100% para ajudar o Atlético", acrescentou.

Edinho deve ficar como opção no banco de reservas do Atlético-MG no duelo com o Flamengo, domingo, no Maracanã, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. E o atacante destacou a importância do confronto, ainda mais que os times estão separados por apenas três pontos na classificação do torneio nacional. "É um jogo de seis pontos porque o Flamengo está ali, colado, então, temos que vencer para passar deles ou nos aproximar", concluiu o atacante.

 
 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.