Léo Santos/Futura Press
Léo Santos/Futura Press

Após feito de Rivaldo, relembre familiares que atuaram juntos

Pentacampeão e seu filho marcaram no mesmo jogo pelo Mogi

O Estado de S. Paulo

15 de julho de 2015 | 13h01

Nesta terça, o Estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim, viu a história acontecer: o pentacampeão do mundo Rivaldo e seu filho, Rivaldinho, marcaram gols no mesmo jogo na vitória da equipe da casa por 3 a 1 contra o Macaé, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Nos registros do futebol mundial, não há qualquer lembrança de um feito como o desta terça-feira (pai e filho marcando no mesmo jogo, por uma liga profissional), porém, diversas famílias já dividiram o mesmo campo e vestiram a mesma camisa no esporte.

A primeira vez que Rivaldo e Rivaldinho atuaram juntos foi em fevereiro de 2014, contra o XV de Piracicaba, pelo Campeonato Paulista. Pai e filho atuando juntos por uma mesma equipe em ligas profissionais, porém, não é algo inédito. Entre 2002 e 2003, por exemplo, o finlandês Alexei Eremenko, que beirava os 40 anos, atuou ao lado de seu filho, Alexei Junior, pelo HJK Helsinki. Henrik Larsson, ex-jogador de Celtic e Barcelona, também jogou com seu filho Jordan, em 2013, pelo Högaborg, da quarta divisão sueca. O pai tinha 42 anos.

Voltando um pouco na linha do tempo, mais especificamente para a temporada 1950-51, David Herd jogou ao lado de seu pai, Alec Herd, pelo Stockport County. O pai havia sido um bom atacante que fez sucesso pelo Manchester City, conquistando até Campeonato Inglês. Porém, David acabou se tornando ídolo do Manchester United, onde conquistou até Liga dos Campeões.

Conhecido por suas passagens por Chelsea e Barcelona, o atacante Eidur Gudjohnsen começou jogando ao lado de seu pai, Arnór, na seleção da Islândia. Em 1996, protagonizou uma bela cena de 'passagem de bastão' ao substituir seu progenitor em amistoso contra a Estônia. Uma cena parecida aconteceu em 2013, no México, em amistoso entre Tijuana e América, quando Fernando Arce foi substituído para a entrada de seu filho, Fernando Arce Juarez.

E a lista vai além: Carlos María Morales e Juan Manuel Morales, no Montevideo Wanderers; o goleiro Cevallos e 'Panchito' Cevallos, na LDU, e Beto Acosta e Mickael Acosta, no Fênix, da Argentina, são outros exemplos de pai e filho jogando juntos pela mesma equipe.

IRMÃOS

Quando se trata de irmãos, o 'futebol em família', obviamente, é muito mais fácil de ser colocado em prática. Os irmãos Laudrup, De Boer, Neville e Milito, por exemplo, escreveram bonitas histórias no futebol atuando juntos. Entre os brasileiros, destacam-se Alecsandro e Richarlyson (que atuaram juntos no Atlético-MG), Rafinha e Thiago (que cresceram na base do Barcelona) e os gêmeos laterais Fábio e Rafael, que tinham rótulo de 'inseparáveis' após jogarem juntos no Fluminense e, depois, no Manchester United. Atualmente, Rafael permanece nos Red Devils, enquanto Fábio atua no Cardiff City.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolfutebol internacionalRivaldo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.