Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Após festa do naming rights, Corinthians precisa vencer o Goiás para evitar crise

Pressionado por derrota no clássico, time de Tiago Nunes visita adversário para se distanciar da zona de rebaixamento

João Prata, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2020 | 05h00

A diretoria do Corinthians tirou das costas o peso do naming rights do estádio e agora a única pressão que existe no clube está em cima da equipe comandada por Tiago Nunes. Depois da derrota no clássico para o São Paulo, o time está próximo de entrar na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e precisa vencer o Goiás hoje, às 19h15, no estádio da Serrinha, em Goiânia, para amenizar a crise que ronda o elenco. 

Nas comemorações pelos 110 anos, na arena em Itaquera, o diretor de futebol Duílio Monteiro Alves bancou a permanência de Tiago Nunes no cargo e pediu paciência, pois trata-se de uma mudança de estilo de jogo. O problema é que o Corinthians está em 16.º lugar, com os mesmos 5 pontos do Red Bull Bragantino, o 17.º. Apesar de ter disputado apenas cinco partidas, o time do Parque São Jorge já está dez pontos atrás do líder Internacional. E com um futebol apresentado até aqui de desanimar o mais otimista dos torcedores corintianos.

Mais uma vez a escalação da equipe não foi confirmada. O lateral-esquerdo Sidcley, que falhou no segundo gol do São Paulo, pode perder a vaga no time para Lucas Piton. No ataque, não dá para garantir um titular absoluto sequer. Os reservas Otero, Mateus Vital, Boselli e Araos podem ganhar uma oportunidade na equipe. 

O atacante argentino Boselli, inclusive, apareceu nas imagens da Corinthians TV treinando já sem a máscara de proteção no rosto, que usava em função de um afundamento de face sofrido no jogo contra o Oeste, na última rodada da fase de classificação do Campeonato Paulista.

O volante Camacho, que não disputou o clássico contra o São Paulo por conta de um estiramento na panturrilha, treinou e deve ser opção no banco de reservas.

PRIMEIRA VITÓRIA

Anunciado na semana passada para o lugar de Ney Franco, Larghi estreou com derrota para o Vasco, por 2 a 1. O resultado levou a decisão para os pênaltis e o Goiás acabou sendo eliminado na terceira fase da Copa do Brasil. Agora busca o primeiro resultado positivo. "O grupo está consciente de que precisa melhorar, entregar mais e que a resposta precisa ser dada. O que vi de positivo foi um grupo empenhado em melhorar", disse Larghi, após a eliminação.

Depois disso, o treinador teve um tempo maior para conhecer o elenco, já que o jogo contra o Grêmio, pela sexta rodada do Brasileirão, foi adiado por conta da participação do adversário na final do Gauchão. Assim, Thiago Larghi pode trabalhar o time no final de semana.

O treinador ainda não sabe se vai contar com dois jogadores: Rafael Moura, com desconforto muscular, e Victor Andrade, com entorse no tornozelo. Se eles não tiverem condições, Mike e Vinícius Lopes serão os substitutos.

A principal notícia é que a bateria de exames realizada para o jogo não deu nenhum resultado positivo para covid-19. O clube teve um surto no elenco, com 26 casos confirmados. Tanto que a estreia, contra o São Paulo, foi adiada.

FICHA TÉCNICA:

GOIÁS: Tadeu; Juan Pintado, Fábio Sanches, Rafael Vaz e Jefferson; Sandro, Gilberto (Ratinho) e Daniel Bessa; Keko, Vinícius Lopes (Rafael Moura) e Mike (V. Andrade). Técnico: Thiago Larghi.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar e Sidcley (Lucas Piton); Éderson, Cantillo e Luan (Araos); Ramiro, Léo Natel (Gustavo Mosquito) e Jô (Boselli). Técnico: Tiago Nunes.

Juiz:José Mendonça da Silva Junior(PR).

Local: Estádio da Serrinha, em Goiânia.

Horário: 19h15.

Na TV: Pay-Per-View.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.