Michel Euler/AP
Michel Euler/AP

Seleção brasileira fará amistoso nos EUA antes das Eliminatórias

CBF confirma jogo contra seleção americana dia 8 de setembro

Estadão Conteúdo

23 de julho de 2015 | 14h01

A CBF divulgou nesta quinta-feira detalhes do amistoso que a seleção brasileira fará em setembro contra os Estados Unidos. O duelo será o único da equipe nas datas reservadas pela Fifa para jogos internacionais em setembro, sendo realizado no dia 8, às 21h40 (horário de Brasília), no Gillette Stadium, em Foxborough, nos Estados Unidos.

Este será o primeiro compromisso da seleção após a queda da equipe nas quartas de final da Copa América com a derrota para o Paraguai na disputa de pênaltis. Além disso, o confronto vai ser o último do Brasil antes da estreia nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, que terão a ordem dos seus confrontos definidos no próximo sábado, em sorteio que ocorrerá em São Petersburgo, na Rússia.

Inicialmente, a seleção disputaria dois jogos em setembro, nas datas reservadas pela Fifa para compromissos internacionais. Porém, a partida contra a Argentina, válida pelo Superclássico das Américas, acabou sendo cancelada após a prisão de empresários da argentina FullPlay, uma das promotoras do evento, por envolvimento no escândalo de corrupção da Fifa.

Assim, o Brasil só terá mesmo os Estados Unidos como adversário antes do início das Eliminatórias Sul-Americanas, em outubro, quando serão realizados duas rodadas, tendo os dias 5 e 13 como suas datas-base. Além de confirmar os detalhes do amistoso com os EUA, a CBF também comunicou nesta quinta que o técnico Dunga vai convocar a equipe em 13 de agosto, às 11 horas, na sede da confederação, para o confronto.

O amistoso deve servir para a seleção comece a recuperar seu prestígio após o fracasso na Copa América e também para Dunga realizar testes na equipe visando a estreia nas Eliminatórias Sul-Americanas.

NA JUSTIÇA

Investigações da Justiça dos EUA desencadearam prisões de sete dirigentes da Fifa na Suíça. Entre eles, está o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, que pode ser extraditado aos Estados Unidos. O atual presidente da CBF, Marco Polo del Nero, também já estaria sendo investigado pela Justiça americana. Del Nero tem evitado viagens para fora do Brasil. O vice-presidente da Fifa, Jeffrey Webb, foi extradidato aos EUA e, mediante fiança, responde o processo em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.