Daniel Augusto Jr|Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr|Agência Corinthians

Após forte abalo por perda da 'segunda mãe', Cássio se supera no Corinthians

Goleiro sentiu a morte da avó e foi parar no banco de reservas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2017 | 07h01

A condição física de Cássio na volta das férias chamou a atenção de quem acompanha o treino do Corinthians. Claramente mais magro, o goleiro tem mostrado muito agilidade nos treinamentos e partidas neste início de ano. Voltar a ter um nível elevado não foi nada fácil para o jogador que precisou superar um grande drama familiar, que foi a morte de sua avó, Maria Luiza.

O Estado conversou com pessoas ligadas ao jogador e ao clube e todos disseram que a perda da avó foi o motivo para a queda brusca de Cássio no ano passado. Maria Luiza morreu no dia 13 de maio do ano passado. O dia ficou marcado na vida do goleiro, pois foi quando ele começou a viver um de seus piores momentos dentro e fora das quatro linhas. Saber que não teria mais a senhora que ele considerava uma segunda mãe e que era a base da família.

A morte dela fez com que Cássio e seus familiares tivessem que encarar a dura realidade de ter que continuar a vida sem aquela que acabava unindo todos. Abalado, ele teve que ir diversas vezes para Porto Alegre, resolver problemas familiares, tendo ainda que lidar com seu sofrimento pessoal, por ter perdido quem ele considerava uma segunda mãe, e tudo isso acabou refletindo dentro de campo.

Paralelamente, o Corinthians não vivia um grande momento e as atuações de Cássio também estavam longe do ideal. Entre protestos dos torcedores e uma clara desmotivação, o goleiro campeão mundial e da Libertadores de 2012 foi perdendo a alegria de estar no gramado, ganhou peso e chegou a ter seu futuro no Corinthians ameaçado. 

O Besiktas, da Turquia, fez uma proposta pelo jogador em julho, mas os clubes não entraram em acordo até o fechamento da janela. Como o clube turco não queria esperar para levá-lo só no fim do ano, desistiu do negócio.

Enquanto isso, Cássio vivia em São Paulo e com a cabeça em Porto Alegre, preocupado com a família. Em baixa, foi perdendo espaço até parar no banco de reservas e ver Walter ganhar espaço. Aos poucos, a família foi se reestruturando e o goleiro conseguiu voltar a focar apenas no futebol.

Cheio de personalidade, ele decidiu ficar, emagreceu, e agora quer recuperar seu espaço no Corinthians e voltar ao posto de ídolo da torcida. "Falei para o meu empresário que eu não queria sair. Chegou no final do ano e eu falei que iria ficar aqui para brigar pela posição. Não posso desrespeitar o Walter, o Matheus e o Caíque, mas dentro de campo vou buscar meu espaço. Não é porque terminei o ano passado no banco que eu vou baixar a guarda. Continuei trabalhando forte para buscar meu espaço, pois tenho uma história bonita no Corinthians e tenho total condições de fazer ela ficar ainda maior", explicou o goleiro.

Cássio tem cinco títulos com a camisa do Corinthians. Libertadores e Mundial (2012), Paulista e Recopa sul-americana (2013) e Brasileiro (2015).

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
CorinthiansFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.