Fabrice Coffrini/AFP
Fabrice Coffrini/AFP

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2016 | 05h00

Se um gol, um golaço na verdade, pelo pequeno Goianésia, no dia 11 de março de 2015, serviu para Wendell Lira ganhar o Puskas, prêmio concedido pela Fifa ao gol mais bonito da temporada, e se tornar conhecido mundialmente. Um telefonema, no fim de abril de 2016, alterou o rumo da vida do agora ex-jogador e atualmente youtuber.

Desgostoso com as limitações por causa das dores no joelho direito que o impediam de jogar em bom nível, o atacante decidiu deixar o Vila Nova. Wendell estava assinando o documento de rescisão quando foi avisado que um empresário chamado Felipe Carvalho, de Porto Alegre, ligou para o clube atrás dele. Três minutos depois, o ainda jogador retornou a ligação.

Wendell recebeu a promessa de uma proposta. A oferta foi tentadora. Desde agosto, o canal de YouTube WLPSKS, uma mistura do nome do jogador e do prêmio Puskas, está no ar. Em dois meses são mais de 200 mil inscritos e um pouco mais de três milhões de visualizações. Números impressionantes.

O contrato com a Gecaf Sports é de cinco anos. Wendell recebe um valor fixa por mês e ainda ganha 30% de tudo que o canal arrecada com parceiros. A renda mensal é superior ao que ganhava no Vila Nova. O último salário no futebol real foi de R$ 5 mil. No virtual, o potencial de crescimento é enorme. O projeto é transformar o ex-jogador em uma referência entre os youtubers, elevando o ganho para até R$ 200 mil mensais.

Salário de jogador Top da Série A do Brasileiro. Valor que Wendell, aos 27 anos, não tinha mais condições de alcançar. O ex-jogador uniu o útil ao agradável. "Não queria mais passar raiva em time pequeno, ganhando pouco e, às vezes, não recebendo. Infelizmente o futebol brasileiro está assim e não podemos mais fazer nada."

"Preferi arriscar como youtuber, que é uma coisa que eu gostava, e que posso ter uma carreira de mais dez anos pela frente. O salário é bom, dá para pagar minhas contas e guardar dinheiro."

A qualidade de vida também foi determinante para Wendell aceitar trocar as chuteiras pelo joystick. Ele mudou de Goiânia para Porto Alegre com a mulher Ludymila e a filha Marcela, de três anos. Morando no bairro Tristeza, ele vive sentimento oposto. "Estou tranquilo, foi uma decisão madura. Tenho chance de passar o dia com a minha família e isso já vale demais."

A rotina é menos intensa do que os treinos em dois períodos que deixavam o jogador com pouca energia até mesmo para jogar videogame. Wendell tem condições de dedicar muitas horas para ficar ainda mais afiado no Fifa. Ele já é uma referência no futebol virtual, participando de campeonatos. Aliás, um dos motivos que fizeram Felipe Carvalho por uma sugestão do amigo Daniel Salvatore investir na carreira de youtuber do ex-atacante foi a vitória dele sobre o campeão mundial de Fifa, o saudita Abdulaziz Alshehri. Os dois se enfrentam em Zurique, em janeiro de 2016, por ocasião da cerimônia do Bola de Ouro, quando o brasileiro recebeu o Puskas.

DIFERENCIAL

Para se tornar uma referência como youtuber de Fifa, o caminho ainda é longo. Atualmente, o Muuh ProGamingBrazil é o canal brasileiro do game da EA Sports com o maior número de inscritos, passando da casa de 1 milhão. Wendell aposta no conteúdo um pouco diferente do oferecido pelos "rivais" para arrebatar seguidores.

Os vídeos com o maior número de visualizações são os que ele fez desafiando jogadores. Na última semana, Wendell gravou com o atacante Rafael Moura, do Figueirense, que foi visto mais de 200 mil vezes. Ele já tinha gravado com Everton, do Grêmio, e Renato, do Santos. "Qual youtuber tem essa liberdade?", argumenta. O ex-jogador pretende até realizar gravações fora do Brasil, com Alexandre Pato (Villarreal) e Douglas (Sporting Gijón). "São amigos que fiz no futebol."

Wendell faz ainda séries com os diferentes modos do Fifa, além de responder perguntas dos inscritos. Outro vídeo que fez sucesso foi um com ele mostrando uma chuteira que ganhou da Nike. Após dois meses, ele se sente mais preparado para a nova profissão. O divisor de águas foi a participação na Brasil Game Show. "No começo estava um pouco travado. Não é fácil se encontrar como youtuber. Mas depois da BGS, quando vi quanto o pessoal gosta de mim, percebi que estava no caminho certo, me soltei e estou fazendo vídeos melhores."

Wendell quer conquistar nos gramados virtuais o sucesso que não conseguiu no futebol real.

TRÊS PERGUNTAS PARA... FELIPE CARVALHO - DIRETOR DA GECAFE SPORTS

Como surgiu a ideia do projeto?

Em janeiro de 2016, um amigo, hoje meu sócio, me apresentou uma ideia. Disse que o Wendell tinha derrotado o campeão mundial de futebol virtual e que acreditava muito no potencial de transformá-lo em youtuber. Achei loucura na hora e aquilo ficou adormecido até abril, quando ele rescindiu com o Vila Nova e vimos uma ótima chance. Chamei o Wendell para uma reunião, juntamente com o André Castilho, que o representava, apresentamos o projeto, que era algo grande, ele ficou encantado e fechamos um contrato de cinco anos. O nosso objetivo é transformar o Wendell em uma referência nacional do futebol virtual. Mas, dependendo do crescimento, do valor da marca que conquistar, ele vai se posicionar no mercado como um todo.

 

Qual o diferencial do Wendell Lira?

Ele tem muitos. Nós chegamos nele principalmente por causa da repercussão do prêmio Puskas e pela análise de que a imagem dele estava perdendo valor muito rápido. Entendemos que era o momento de ele aproveitar antes de perder todo o valor de mercado. Outro diferencial é o quanto ele joga, o rendimento dele é acima da média. Isso foram surpresas que só validaram a nossa ideia de colocar este produto novo no mercado.

 

A adaptação te preocupou em algum momento?

Era uma incógnita, uma questão delicada, não sabíamos como ele iria se portar na frente das câmeras, como influenciador. Mas o carisma dele impressiona. Se fizer um levantamento do perfil dos influenciadores hoje, quase todos são o oposto do Wendell. Ele é aquele menino pobre, de origem humilde, que fala errado... A cara do brasileiro. Os outros youtubers vêm de um berço melhor, com mais oportunidades e enxergam na plataforma digital uma maneira de se comunicar com o público. A BGS (Brasil Game Show) foi um marco no nosso modelo de negócio. Até ali, ele estava bem travado, procuramos deixá-lo  solto, mas ele tinha que dar o start. Não era mais um atleta, era um influenciador, um comunicador... Ele ainda esta neste processo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

Edney Souza*, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2016 | 05h00

O Wendell tem uma vantagem de ter sido um jogador real de futebol e ele tem usado isso, tem feito vídeos com outros jogadores e conforme seu prestígio como youtuber crescer é possível que ele consiga estrelas de primeira grandeza para participar e aumentar ainda mais a visibilidade do canal. Dessa forma ele não concorre apenas com outros jogadores de Fifa e sim com canais de youtube que falam de futebol de uma maneira geral. Ele tem um público bem mais amplo do que se fosse apenas um jogador de e-sports.

No mundo dos e-sports ele concorre principalmente com os canais de Fifa nacionais, como o Muuh ProGamingBrazil (1 milhão de inscritos), AD0LFzZ (380 mil), opiorgamerdomundo (334 mil), afgame10 (268 mil), Afincogames (260 mil) e Fifalize (210 mil). No de canais de futebol, o jogo é um pouco mais concorrido em termos de inscritos: desimpedidos (2,9 milhões), videosei (1,1 milhão) e Banheiristas (431 mil).

Esses são canais com mais inscritos que o do Wendell, apesar da quantidade de inscritos não ser necessariamente a melhor métrica, mas ela ainda é a que mais chama a atenção na hora de selecionar um youtuber para uma campanha publicitária. Porém novas plataformas de pesquisa de influenciadores como a celebryts.com estão surgindo para avaliar dados mais precisos como média de visualizações nos últimos vídeos. Eles já fazem essa mescla de futebol físico com o digital, mas como não são ex-jogadores, o Wendell pode ter uma vantagem com o público.

Se o Wendell continuar mesclando futebol físico com o digital, convidando outras personalidades do mundo gamer e do mundo do futebol, se manter humilde (é uma postura comum entre os youtubers de elogiarem o oponente, reconhecer suas limitações, agradecer a audiência, etc), conseguir espaço na mídia e campanhas publicitárias, ele tem grandes chances de continuar crescendo e, em pouco tempo, ser o maior youtuber da categoria, visto que 200 mil em dois meses é uma marca bem considerável.

Se seus padrinhos que lhe ajudaram a ganhar o prêmio Puskas continuarem apoiando nessa nova carreira então será um caminho suave até o topo e bem rentável.

*EDNEY SOUZA É CONSULTOR DE MARKETING ESPECIALIZADO EM CONTEÚDO, EVENTOS E REDES SOCIAIS, PROFESSOR DA ESPM, FGV E COMSCHOOL, ORGANIZADOR E CURADOR DA SOCIAL MEDIA WEEK SÃO PAULO, COLUNISTA DO BLOG WORDPRESS.COM BRASIL E SÓCIO NA 00K.

Mais conteúdo sobre:
Wendell Lira Wendell Fifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.