Jorge Silva/Reuters
Jorge Silva/Reuters

Após gol da vitória, Bednarek exalta 'boa lição' para a Polônia

Cabeça de chave, poloneses foram eliminados ainda na primeira fase da Copa

Estadão Conteúdo

28 Junho 2018 | 14h26

A Polônia decepcionou na Copa do Mundo da Rússia. Perdeu os dois primeiros jogos e foi eliminada ainda na segunda rodada do Mundial. Os poloneses, ao menos, bateram o Japão por 1 a 0 nesta quinta-feira, em Volgogrado, e não irão para a casa sem vitórias. Autor do gol do triunfo, Bednarek diz que os jogadores buscaram o resultado pela "honra e orgulho".

+ Técnico da Polônia diz que vitória traz alegria, mas não ameniza fracasso na Copa

+ Japão perde para a Polônia, mas se classifica por ter menos cartões do que Senegal

O meia ofereceu a vitória aos torcedores, decepcionados com a eliminação da equipe nacional, e disse que a trajetória ruim na Rússia, com muitos erros, especialmente no revés por 3 a 0 diante da Colômbia, pode servir de aprendizado para o time nas próximas competições.

"Queríamos jogar a última partida com honra e orgulho para deixar os torcedores felizes e podermos voltar para casa amparados. É uma boa lição para a gente no futuro", disse Bednarek.

O triunfo sobre os japoneses impediu que a Polônia terminasse a primeira fase de um Mundial com três derrotas seguidas pela primeira vez em sua história, mas não é capaz de fazer com que os jogadores esqueçam a eliminação.

 

"Estamos desiludidos com a Copa do Mundo. Nos queríamos passar para as oitavas de final. Estou certo de que os torcedores poloneses ficariam muito felizes", lamentou o atacante, que joga no Southampton, da Inglaterra.

Com a vitória, os poloneses se despediram do Mundial com três pontos, na última colocação do Grupo H. A Colômbia avançou como líder, com seis pontos, seguido do Japão, que somou quatro e realizou campanha idêntica à de Senegal, mas se classificou ao mata-mata por ter menos cartões amarelos que a seleção africana.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.