Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Após gol no Sul, Sasha festeja recomeço no Santos e admite mágoa com Sampaoli

Atacante havia sido liberado pelo técnico para procurar clube no início da temporada

Redação, Estadão Conteúdo

29 de abril de 2019 | 16h53

O gol marcado na vitória sobre o Grêmio, no domingo, em Porto Alegre, foi considerado pelo atacante Eduardo Sasha, do Santos, como uma resposta ao técnico argentino Jorge Sampaoli, que em janeiro chegou a liberar o jogador para procurar outro clube.

"Independentemente da primeira opinião que ele teve no início do ano, eu fui profissional, continuei trabalhando, ele (Sampaoli) foi percebendo que eu poderia ser importante para o grupo, foi me dando oportunidade e ontem (domingo) fui coroado com um gol", disse o atleta, em entrevista coletiva nesta segunda-feira.

Demonstrando mágoa, Sasha revelou que não aceitou deixar a Vila Belmiro. "Foi difícil começar o ano, com a expectativa de jogar e sofrer tantas críticas", afirmou o jogador, de 27 anos. "Fiz questão de não sair. Eu sabia que poderia mostrar meu futebol e ganhar meu espaço. E ele é um grande treinador, foi me dando oportunidade, fui ajudando a equipe e estou muito feliz por isso".

Sasha prevê que ainda poderá ajudar muito Sampaoli. "O campeonato é muito longo, tem muitos jogos e ele vai precisar de todo mundo. E eu, com certeza, vou ajudar ainda muito o time. Ninguém chega no Santos à toa. Vamos dar um passo de cada vez", comentou o atacante, que teve o apoio dos parentes na arquibancada da Arena Grêmio.

"Estava com saudades de fazer gol. É sempre bom fazer gol, ainda mais no Sul, onde minha família estava assistindo. Foi especial", disse o jogador, que destaca o fato de ser uma vitória difícil das demais equipes conseguirem. "O Grêmio tem uma grande equipe. Fomos felizes de fazermos um bom jogo e trazer os três pontos, pois lá vai ser difícil para todo mundo".

Disposto a atuar na posição que for necessário, Sasha comentou a intenção da diretoria e de Sampaoli na contratação de um centroavante de área. "Nós temos mais jogadores que atuam pelos lados do campo. Se tiver de ficar mais fixo, parado, estou aqui para ajudar".

Sasha foi contratado pelo Santos no ano passado em troca envolvendo o lateral-direito Zeca com o Internacional. O jogador teve queda de rendimento no segundo semestre, mas a decisão de Sampaoli é surpreendente. Ele tem contrato até o final de 2022.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.