Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Após goleada, jogadores do Palmeiras pedem fim da oscilação

Satisfeitos com goleada, palmeirenses agora querem engatar vitórias

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2015 | 18h33

Enquanto a torcida do Palmeiras comemorava como um título a contundente vitória por 4 a 0 sobre o São Paulo neste domingo, no Allianz Parque, os jogadores deixaram o gramado com o discurso de que, apesar do resultado, não existia motivos para grande euforia e que era necessário manter a regularidade no Campeonato Brasileiro.

O atacante Rafael Marques, um dos destaques da partida, ressaltou a dedicação dos atletas, semelhante ao desempenho do time no clássico disputado durante o Campeonato Paulista, quando o alviverde venceu por 3 a 0 o time tricolor. "A determinação de cada um, taticamente compacto na defesa e no ataque e a qualidade que todos demonstraram fizeram a diferença. Todo mundo se sacrificou, voltando e atacando. Isso que a gente fez precisa acontecer sempre. Se todos correrem e marcarem, vamos sair vitoriosos", disse o atacante.

A ordem é comemorar o resultado neste domingo e na segunda-feira, na reapresentação da equipe, já começar a pensar na partida contra a Chapecoense, quarta-feira, novamente no seu estádio. "Não é só fazer esse grande jogo com o São Paulo. Temos que fazer melhor ou, pelo menos, manter o nível", ressaltou o autor do quarto gol na goleada.

O volante Gabriel espera que a atuação de gala da equipe sirva de exemplo para todo o grupo do que deve ser feito. "Foi um jogo muito bom. Essa vitória serve para dar moral e dar uma arrancada legal. Agora é subir na tabela e buscar nosso objetivo, que é estar brigando lá em cima".

O lateral-direito Lucas admite surpresa com o placar dilatado, mas não com a boa atuação da equipe. "Marcamos forte eles e aproveitamos os contra-ataques e as bolas paradas. Tivemos chances de gol e não podemos mais oscilar na competição. Quarta-feira tem mais", finalizou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.