Vanderlei Almeida/ AFP
Vanderlei Almeida/ AFP

Após goleada, jogadores da seleção brasileira ganham folga nesta sexta-feira

Próximo treino acontece somente no sábado, às 17h

Ciro Campos, enviado especial a Natal, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2016 | 06h30

Os jogadores da seleção brasileira terão um alento nesta sexta-feira em Natal, um dia depois de golearem a Bolívia por 5 a 0, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Em toda a passagem dos atletas pela cidade, será o único dia inteiro de folga, com a oportunidade de aproveitar o litoral potiguar e a estrutura do hotel cinco estrelas onde a equipe está hospedada com piscinas, sauna, quadra de tênis e a localização a poucos passos da praia.

A liberdade em ter o dia sem a agenda de treinos compensa a rotina de atividades e pouco tempo de descanso, principalmente para quem veio da Europa. O grupo de 15 atletas que atua no Velho Continente jogou no fim de semana, viajou para chegar a Natal na segunda-feira, precisou se adaptar rapidamente ao fuso horário e não teve folga antes de enfrentar a Bolívia, na Arena das Dunas.

Como o próximo treino no cronograma da seleção só será neste sábado, às 17 horas, o dia livre nesta sexta-feira poderá ser prolongado para o descanso. Ao fim desta folga, os jogadores não terão mais pausa até o fim da rodada dupla, pois o treino no domingo será pela manhã, seguido da viagem em voo fretado para a cidade venezuelana de El Vigia, local com o aeroporto mais próximo de Mérida, a cerca de 70 km de distância.

Alguns jogadores da seleção, como o goleiro Alisson, estão com os familiares em Natal e devem utilizar a folga para passar o tempo com eles.

A privacidade do hotel, localizado distante do centro e com segurança reforçada para evitar a presença da torcida, favorece para que o time utilize a estrutura sem precisar se deslocar para outras praias do litoral.

Contra a Venezuela, nesta terça-feira, o volante Paulinho, que cumpriu suspensão no jogo contra os bolivianos por ter recebido dois cartões amarelos, voltará a ser titular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.