Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Após indicar Felipão para a Colômbia, Borja recua: 'Me meti em confusão'

Atacante esfria especulação sobre ida de técnico depois de ter sugerido nome a dirigentes da federação

O Estado de S. Paulo

07 Dezembro 2018 | 07h00

O atacante colombiano Miguel Borja, do Palmeiras, demonstrou nesta quinta-feira arrependimento ao tratar do interesse da seleção do seu país em contratar o técnico Luiz Felipe Scolari. Depois de no último domingo o jogador ter revelado o contato entre as duas partes, agora foi a vez dele admitir que ao dar informações sobre o assunto, criou confusão.

"Eu disse que o estava convencendo e me meti em confusão no Brasil, então não posso dizer mais nada. Que ele tome a decisão", disse Borja ao jornal As, da Colômbia. O atacante viajou ao país natal para passar as férias com a família. A seleção colombiana tem sido comandada por um interino desde setembro, quando José Pékerman deixou o cargo depois de seis anos na função.

No domingo, durante a festa do título brasileiro, Borja comentou que havia indicado Felipão para o cargo. O técnico confirmou ter sido procurado e afirmou que pensaria no assunto. Internamente no Palmeiras há a confiança na continuidade do treinador para 2019, principalmente pelo trabalho de sucesso realizado na campanha da conquista do Nacional.

Antes de fechar com o Palmeiras, em agosto, Felipão avaliava propostas de outras duas seleções. Uma delas era a Coreia do Sul. A outra era o Paraguai, com quem chegou a ter conversas avançadas e tratado de mais detalhes sobre o possível contrato.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.