Barrington Coombs / AP
Barrington Coombs / AP

Após invasão de campo, diretoria do Manchester United vai ajudar polícia a identificar manifestantes

Clube inglês afirma que não buscará punições para os fãs que protestaram pacificamente, mira apenas os que provocaram estragos no estádio

Redação, Estadão Conteúdo

03 de maio de 2021 | 12h27

O Manchester United anunciou, nesta segunda-feira, que vai trabalhar com a polícia para identificar os torcedores que forçaram a abertura de um portão do Estádio de Old Trafford antes de invadir o campo, o que acabou forçando o adiamento do jogo de domingo com o Liverpool, pelo Campeonato Inglês.

A diretoria do United disse que não buscará punições para os fãs que protestaram pacificamente, incluindo aqueles fora do estádio. "Enquanto muitos fãs queriam exercer seu direito de protestar e expressar seu opinião pacificamente, alguns estavam empenhados em perturbar a preparação da equipe e o próprio jogo, como ficou evidenciado no Lowry Hotel e no estádio", escreveu o clube em um comunicado. O clube também negou que tivesse deixado o portão aberto.

"Depois de quebrarem barreiras e a segurança no pátio, alguns manifestantes escalaram os portões no final do túnel, então forçaram o acesso a uma porta lateral, antes de abrirem uma porta externa que permitiu outros torcedores entraren a área do saguão e depois para o campo", disse o United no documento apresentado à polícia. "Uma segunda violação ocorreu quando um manifestante quebrou a porta de um elevador de acesso para deficientes, permitindo que um grupo entrasse no estádio."

A violência estourou perto do início do jogo no domingo tarde. A polícia, empunhando bastão, tentou empurrar os fãs para fora do Old Trafford, mas foram recebida por garrafas de vidro. "A maioria dos nossos fãs condenou e irá condenar os danos criminais, junto com qualquer violência contra os funcionários do clube, polícia ou outros fãs, e estes agora se tornam um caso de polícia", disse o United. "O clube vai trabalhar com a polícia para identificar os envolvidos na atividade criminosa, e também emitirá suas próprias sanções a qualquer momento ao membro identificado".

Uma nova data para o jogo ainda não foi definida com menos de três semanas para o final do campeonato. O United ainda tem cinco jogo a realizar pelo Inglês e está a 13 pontos do líder Manchester City. O duelo entre Manchester United e Liverpool, da 34ª rodada, poderia definir o campeão inglês. Se o time do técnico Ole Gunnar Solskjaer não vencesse a partida, o Manchester City comemoraria o título antecipadamente.

O PROTESTO

Centenas de torcedores se reuniram na porta do Old Trafford, depois conseguiram vencer a barreira policial e invadiram o gramado do estádio. Eles exibiram faixas e cartazes pedindo a saída da família Glazer do comando da equipe de Manchester. Os fãs chegaram até a subir nas traves e tiraram fotos no campo.

As manifestações contra Joel e Avram Glazer são antigas e ocorrem desde a década passada. Os torcedores reprovam a maneira como a família vem administrando o clube. Eles herdaram a propriedade do United de seu pai, Malcom, empresário norte-americano que comprou ações de outros empresários no começo do século.

Os irmãos adotaram medidas que irritaram a torcida, especialmente a abertura do capital do Manchester United na bolsa de Nova York. Dessa maneira, viraram rotina nas arquibancadas do Old Trafford protestos com faixas que pedem a saída dos Glazer do comando do clube.

As manifestações haviam esfriado com a eclosão da pandemia do coronavírus desde o início do ano passado. No entanto, o envolvimento do United no projeto fracassado da Superliga Europeia foi determinante para a torcida voltar a expressar seu descontentamento com a gestão atual do clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.