Paul Childs / Reuters
Paul Childs / Reuters

Após investigação da FA, Firmino se livra de acusação de racismo

Brasileiro teve um desentendimento com Mason Holgate, no jogo entre Liverpool e Everton, pela Copa da Inglaterra

Estadão Conteúdo

21 de fevereiro de 2018 | 16h46

A Associação de Futebol da Inglaterra (FA) descartou nesta quarta-feira acusar o brasileiro Roberto Firmino de racismo. O jogador era investigado pela entidade após um desentendimento com Mason Holgate no clássico entre Liverpool e Everton, no último dia 5 de janeiro, pela Copa da Inglaterra.

+ CSKA vence Estrela Vermelha e avança às oitavas de final da Liga Europa

"Tendo considerado todas as evidências disponíveis, consideramos que não é o suficiente para abrir uma acusação contra Firmino. No entanto, estamos completamente satisfeitos porque a alegação foi feita em completa boa fé por Holgate e não há sugestão de ter sido uma alegação falsa ou maliciosa intencionalmente", explicou a entidade.

Aos 40 minutos daquela partida, Firmino se irritou com Holgate após ter sido empurrado pelo rival já fora do gramado. O brasileiro esbravejou com o inglês, que, após alguns xingamentos proferidos pelo jogador do Liverpool, se mostrou bastante irritado.

Holgate reclamou para o árbitro, que relatou na súmula a alegação do jogador de ter sido ofendido racialmente. As câmeras de televisão, no entanto, flagraram apenas Firmino xingando o adversário em português: "Você é louco, filho da p...".

"Nós coletamos depoimentos de 12 jogadores e dirigentes de ambos os times, do árbitro e do quarto árbitro. Ninguém ouviu diretamente as palavras alegadamente ditas por Firmino. O atacante foi entrevistado formalmente pela FA e disse que insultou Holgate em português, mas negou categoricamente ter utilizado linguagem discriminatória", comentou a FA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.