Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Após levar cusparada, Ganso não poupa críticas à torcida da Chapecoense

'Eles tinham de ser muito gratos por tudo que passaram', afirmou o jogador do Fluminense

Redação, Estadão Conteúdo

13 de junho de 2019 | 23h05

Paulo Henrique Ganso travou uma discussão com a torcida da Chapecoense nesta quinta-feira. Após revelar ter recebido uma cusparada, o autor do gol de empate do Fluminense por 1 a 1 provocou os torcedores presentes na Arena Condá, em Chapecó (SC), e não poupou críticas em cima dos xingamentos. Enquanto a torcia pegava no seu pé, ele pedia para aumentar o som.

As provocações, de ambos os lados, continuaram durante a entrevista na saída do gramado. Ganso relembrou o fatídico acidente que vitimou boa parte da delegação da Chapecoense no final de 2016 e criticou a torcida brasileira como um todo.

"Torcedor da Chapecoense tinha de ser muito grato por tudo que passou. Não deveriam fazer isso. Todo mundo se pronunciou e quis ajudar (depois do acidente). Em vez disso ficaram cuspindo e me chamando para briga. Infelizmente o torcedor é assim, o Brasil é assim. Depois eles (torcedores da Chapecoense) ficam chateados. Deveriam é ter mais respeito com os outros", afirmou.

Ganso ainda fez uma breve análise do empate do Fluminense, que foi o suficiente para manter o clube fora da zona de rebaixamento e empurrar a Chapecoense para as últimas quatro posições do Brasileirão. Ambos somam oito pontos. "Vamos aproveitar a parada para melhorar nosso estilo de jogo e entrosamento. Fizemos um primeiro tempo muito abaixo do que estamos acostumados, mas melhoramos na etapa final e podíamos ter saído com a vitória", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
FluminenseGansofutebolChapecoense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.