Marcos D'Paula/AE
Marcos D'Paula/AE

Após mal-entendido, Robinho encerra polêmica com Pelé

Atacante diz que episódio não passou de um mal-entendido e afirma que jamais teve problemas com drogas

Agencia Estado

25 de março de 2009 | 19h46

O atacante Robinho decidiu encerrar nesta quarta-feira a polêmica sobre as declarações dadas por Pelé na semana passada. O jogador disse em entrevista coletiva que não chegou a conversar com o ídolo do Santos, mas admitiu que o episódio se tratou apenas de um "mal-entendido".

Veja também:

linkPelé nega afirmação de que Robinho consumiu drogas

linkPelé elogia Neymar e Mancini em visita ao Santos

linkMá interpretação gerou revolta de Robinho contra Pelé

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Ficou meio complicado pelo o que ele falou. Vendo a entrevista dele acho que ele se expressou mal. Nunca tive nenhum problema com drogas, senão não estaria na seleção. Mas o meu foco vai ficar só no futebol", afirmou Robinho.

Na semana passada, Pelé deu declarações em relação ao envolvimento de jogadores com drogas. E, após citar Maradona, o ex-jogador nomeou Ronaldo e Robinho, mas se referindo apenas à confusões extra-campo, sem mencionar o uso de drogas.

"Foi um mal-entendido. O Pelé acabou se equivocando. Não tenho nada contra ele. Então está tudo resolvido. Estou mais preocupado em treinar com a seleção e focar no futebol", reafirmou Robinho, com o objetivo de encerrar polêmica.

O atacante do Manchester City também comentou as críticas que tem recebido por suas atuações no Campeonato Inglês. "Críticas são normais. Temos que estar acostumados a isso. Acho que tenho mostrado a mesma vontade na seleção e no Manchester City. Mas são times diferentes", destacou. "Quanto maior o sucesso, mais problemas", completou, se referindo às seguidas polêmicas.

Na entrevista coletiva, Robinho ainda apoiou o retorno de Ronaldo ao futebol e disse esperar ver o jogador de volta à seleção. "Todo brasileiro gostou de ver o Ronaldo de volta aos gramados, de ver ele fazer gol. Como amigo e ex-companheiro de clube, fiquei muito contente. Torço para que ele possa fazer mais gols e que possa voltar a seleção".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.