Cesar Greco/ Palmeiras
Cesar Greco/ Palmeiras

Após 'maratona', Abel prevê Palmeiras 'inteiro' para final da Libertadores

Equipe alviverde volta a campo no próximo sábado para decidir o título da Copa Libertadores

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

27 de janeiro de 2021 | 07h00

A "maratona" de dez jogos num intervalo de apenas um mês não vai abalar o Palmeiras para a grande final da Copa Libertadores, no sábado, contra o Santos. Esta é a avaliação do técnico Abel Ferreira, para quem o time soube suportar esta dura sequência de partidas, por diferentes competições, e chegará "inteiro" para o aguardado duelo no Maracanã, no Rio de Janeiro.

"Deve ser a primeira vez na história que uma equipe tem dez jogos no mês. Desafio a quem gosta de futebol (a checar), mas estou convencido de que somos uma das únicas equipes a ter dez jogos no mês. É duro, é pesado. Como treinador, tenho que pensar no presente e no futuro, de forma global. É preciso gestão de energia e jogar na máxima força. A cada jogo, jogaram aqueles que estavam na máxima força", disse Ferreira.

A "gestão de energia" tem sido feita pelo treinador ao poupar jogadores importantes do time nos últimos jogos. Contra o Vasco, no empate por 1 a 1 no Allianz Parque, Ferreira poupou mais de uma equipe completa: Weverton, Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Luan, Viña, Danilo, Gabriel Menino, Zé Rafael, Raphael Veiga, Rony, Willian e Luiz Adriano.

"É humanamente impossível, hoje tivemos jogadores com só um dia de intervalo e que deram muito bem a conta do recado no primeiro tempo. Não fizemos mais gols, mas o processo está lá. A gestão foi feita e pensada para podermos chegar ao décimo jogo e posso agora recuperar os atletas por três dias para termos todos disponíveis para a grande final. Conseguimos chegar com a graça de Deus e com o nosso trabalho com a equipe inteira para esta final", afirmou.

Apesar do empate em casa, Abel Ferreira se disse satisfeito com a performance do time. "Montei uma equipe hoje que nunca tinha jogado junto: o Felipe Melo, o Scarpa e o Lucas Lima no meio, com o Renan na lateral esquerda, o Gabriel Silva na frente, o Esteves como ponta e a equipe criando. Como você consegue montar esta equipe e ela apresenta esta qualidade? Errar gols as melhores equipes erram. Mais importante é ver a identidade. Nós, em condições físicas, difíceis, tivemos a equipe com uma boa circulação de bola."

Com esta satisfação, o português vê o Palmeiras preparado para a grande final, no sábado. "É um jogo muito particular, é uma final. É fruto de um grande trabalho das duas equipes. Chegam as duas com mesmo desejo e ambição. Da minha parte, vamos nos preparar como temos feito em todos os jogos, encarar as emoções que temos e aceitá-las. Quando chegar o momento do apito do árbitro concentrar nossa energia para o plano de jogo. Não vamos nos preparar agora, estamos nos preparando. Tenha certeza absoluta que essa galera está preparada para esta final", declarou.

Além da preparação e tensão envolvidas na final, Abel Ferreira avisou que vai pedir aos seus jogadores que desfrutem do momento, no sábado. "Foi para isso que estudei e trabalhei tanto, para chegar à final e desfrutar com responsabilidade e viver este momento. Nem todos jogadores e treinadores chegam à final. Temos esse privilégio e temos de fazer o que nos compete, que jogar em alto nível", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.