Divulgação/Guarani
Divulgação/Guarani

Após marca no Guarani, Fumagalli deve se tornar dirigente do clube

Meia comemora marca de 300 jogos com a camisa do time e pode assumir cargo de coordenador técnico

Estadão Conteúdo

19 de fevereiro de 2018 | 20h18

O meia Fumagalli chegou aos 300 jogos com a camisa do Guarani na última quarta-feira, quando o time perdeu por 1 a 0 para o XV de Piracicaba, pela sétima rodada da Série A2 do Campeonato Paulista. No último sábado, a vitória por 2 a 1 sobre o Taubaté foi marcada por homenagens ao jogador, que pode se tornar em breve coordenador técnico do clube.

+ Gabriel comemora bom retorno ao futebol brasileiro

+ Torcida faz campanha por público zero em jogo da Portuguesa

Um vídeo divulgado pelo Guarani nesta segunda-feira com os bastidores do jogo de sábado mostra momentos de descontração, quando os companheiros gritam o nome do meia de 40 anos e o abraçam no vestiário. Também é mostrada a preleção de Fumagalli antes da partida. "Um terço da carreira eu vivi aqui dentro, oito anos. Subi esse túnel, fui e voltei, e está terminando. Vocês que são mais jovens, aproveitem. Esse clube é muito grande, muda a vida de qualquer um", discursou, emocionado.

Desde 2012 no Guarani, com uma rápida passagem por empréstimo pelo Santa Cruz, em 2013, Fumagalli se tornou ídolo bugrino em tempos complicados para o clube. O grande alívio veio em 2016, quando enfim ele ajudou a tirar o time da Série C do Campeonato Brasileiro, sendo o grande destaque do time, com atuações decisivas.

O meia chegou a cogitar a aposentadoria no fim de 2017, mas resolveu adiá-la. Com isso, estendeu o contrato até o fim da atual edição da Série A2. Assim que o estadual encerrar, a carreira do ídolo também chegará ao fim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.