Darren Staples/ Reuters
Darren Staples/ Reuters

Após garantir vitória do United, Depay quer ser chamado de Memphis

Atacante quer que imprensa esqueça sobrenome de seu pai

Estadão Conteúdo

18 Agosto 2015 | 20h25

O atacante holandês Memphis Depay marcou nesta terça-feira os dois primeiros gols dele com a camisa do Manchester United. E foram dois golaços na vitória de virada sobre o Club Brugge por 3 a 1, no jogo de ida dos playoffs da Liga dos Campeões.

Contratado em maio junto ao PSV, da Holanda, o jogador de 21 anos preferiu não comemorar o feito e ainda se mostrou decepcionado com o desempenho no Old Trafford. "Foi muito importante vencer o jogo. Mas me sinto desapontado porque perdi duas boas chances de gol. Agora temos que viajar a Bruges (na Bélgica) e finalizar este trabalho", comentou.

Depay abriu o marcador após aplicar um chapéu no adversário, invadir a área e fuzilar o goleiro. No outro, dominou, se livrou da marcação e bateu colocado no ângulo. Foram dois gols que salvaram o Manchester United, pois até então a equipe perdia por 1 a 0, graças a infelicidade de Carrick, que fez contra.

O atacante holandês vem de um excelente ano pelo PSV. Em duas temporadas em seu país, marcou 50 gols. As boas atuações chamaram a atenção do Manchester United, que pagou 25 milhões de libras (cerca de R$ 135 milhões) por sua contratação. Depois de marcar as duas primeiras vezes pela equipe inglesa, agora ele espera manter a boa média que teve no antigo clube.

"Terminei a última temporada com muitos gols. Vim para um grande clube e agora preciso fazer novamente um bom trabalho. É uma ótima sensação marcar dois gols no Old Trafford. Mas ainda estou um pouco decepcionado porque aquela última chance desperdiçada", comentou.

Na entrevista coletiva, Depay ainda pediu aos jornalistas que o chamem apenas de Memphis, porque o sobrenome vem do pai ganês, que é separado da mãe, e os dois não têm uma boa relação. O treinador do Manchester, Luis Van Gaal, que já sabe do pedido, rasgou elogios a Memphis. "Ele marcou dois gols e ainda deu assistência para o terceiro. Estou confiante que ele tem um caminho brilhante a ser traçado, então estou muito feliz", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.