Divulgação/ Santos
Divulgação/ Santos

Após marcar gol da vitória, Lucas Veríssimo cobra valorização no Santos

Motivado pelo interesse do Atlético-MG, zagueiro comentou sobre as ofertas que recebeu para se transferir

Redação, Estadao Conteudo

10 de março de 2020 | 21h46

Autor do gol da vitória do Santos sobre o Delfín, do Equador, por 1 a 0, nesta terça-feira, na Vila Belmiro, pela Copa Libertadores da América, o zagueiro Lucas Veríssimo pediu uma valorização do clube diante das ofertas que recebeu para se transferir.

A declaração foi motivada pelo interesse do Atlético Mineiro em contratá-lo. O zagueiro foi um dos primeiros pedidos do técnico Jorge Sampaoli, que trabalhou com Lucas Veríssimo no Santos no ano passado. O argentino assumiu o time mineiro nesta semana no lugar de Dudamel, demitido após o time ser eliminado na Copa Sul-Americana e na Copa do Brasil.

"Trabalhei com o professor e trabalhei bem. Ouvi esses rumores. A única coisa que peço é uma valorização. Já tive propostas e ainda não fui valorizado", afirmou o zagueiro após o jogo. "Digo isso diretamente para o (José Carlos) Peres (presidente do Santos), mas aqui quero falar sobre o jogo."

Diante do interesse do Atlético, o presidente do Santos afirmou que pode até negociar Lucas Veríssimo, mas pede pelo menos 15 milhões de euros (R$ 78 milhões) para liberá-lo. Recentemente, o clube recusou 10 milhões de euros (R$ 52 milhões) do Torino, da Itália. O Zenit, da Rússia, também fez uma oferta. O zagueiro tem contrato até 30 de junho de 2022.

Em relação ao jogo, Lucas Veríssimo comemorou o resultado positivo, apesar de admitir que o time não teve uma grande atuação contra o Delfín. Foi o segundo triunfo do Santos na Libertadores. A equipe lidera o Grupo G, com seis pontos.

"A gente buscou esta vitória do início ao fim. Não fizemos uma grande exibição, é verdade, mas o mais importante na Libertadores é vencer e já estamos com seis pontos", afirmou o zagueiro. "A gente sabe que o time pode mais, vamos trabalhar para isso. A gente entrou concentrado, infelizmente não fizemos uma grande partida."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.