Martin Bureau/AFP
Martin Bureau/AFP

Após negociações frustradas, Neymar reestreia pelo PSG sob vaias e protestos

Atacante brasileiro é alvo de xingamentos vindo das arquibancadas; pai do jogador também é citado

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2019 | 13h41

Quatro meses depois de uma longa novela, Neymar voltou a vestir a camisa do Paris Saint-Germain neste sábado. O astro brasileiro foi especulado em diversos times durante a janela de transferências europeia - dentre eles o Barcelona, seu ex-clube -, mas acabou permanecendo na equipe francesa. Por conta disso, foi vaiado e alvo de protestos neste sábado, quando fez sua reestreia diante do Strasbourg no Parque dos Príncipes.

No estádio do PSG, foi possível ouvir em diversos momentos gritos ofensivos a Neymar. Além disso, toda vez que tocou na bola, o camisa 10 da equipe foi alvo de vaias que tomaram conta das arquibancadas.

O camisa 10 do PSG não foi o único que sofreu com as manifestações vindas das arquibancadas. Neymar da Silva Santos, seu pai e empresário, foi citado em uma das faixas da torcida parisiense que, além de promover ofensas, sugeriu que vendesse o atacante na Vila Mimosa, um bairro do Rio de Janeiro.

Antes de voltar a jogar pelo PSG, Neymar voltou aos gramados após se recuperar de uma lesão no pé pela seleção brasileira em dois amistosos realizados nos Estados Unidos. Contra a Colômbia, participou com uma assistência e um gol. Já diante do Peru, entrou no segundo tempo e passou em branco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.