Felipe Rau / Estadão
Felipe Rau / Estadão

Após nova derrota, Ponte Preta anuncia a saída do técnico Gilson Kleina

Treinador não resistiu depois da equipe perder para o Ituano, na última segunda-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2020 | 20h49

O futebol ruim apresentado pela Ponte Preta em 2020 fez a diretoria anunciar no nesta terça-feira a saída do técnico Gilson Kleina. A demissão do treinador era esperada desde a derrota para o Ituano, por 1 a 0, no Novelli Júnior, na última segunda, pela sexta rodada do Campeonato Paulista.

A decisão foi tomada após uma reunião entre os dirigentes. A pressão da torcida era grande para a saída de Kleina, principalmente pela qualidade ruim do futebol apresentado até aqui.

"A diretoria decidiu pelo Gilson para o Paulista 2020, com contrato até abril e permanência para o Brasileiro condicionada ao desempenho no Paulistão, que infelizmente não estava sendo o que todos esperávamos. Por isso, optamos pela mudança neste momento. Agradecemos ao Gilson Kleina, que é um excelente profissional e tem história com a Ponte Preta, pelo empenho que teve frente ao time neste período", disse o presidente Sebastião Arcanjo.

Números de Kleina na Ponte Preta

Anunciado em agosto do ano passado, Gilson Kleina teve um aproveitamento de 37,2% em sua quarta passagem pelo Moisés Lucarelli. Em 26 jogos, foram sete vitórias, oito empates e 11 derrotas.

Kleina deixa a Ponte na vice-liderança do Grupo A do Paulistão, mas a apenas dois pontos da zona de rebaixamento. Em seis partidas, foram duas vitórias e quatro derrotas, sendo três seguidas.

Quem vem?

Agora, a diretoria trabalha em busca de um substituto para Kleina. Enquanto não chega a um nome de consenso, quem assume o comando interino será do coordenador-técnico Fábio Moreno. No sábado, a Ponte Preta recebe a Ferroviária, no Moisés Lucarelli.

Tudo o que sabemos sobre:
Ponte PretaGilson Kleinafutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.