Fotos de Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Fotos de Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Após novo desmanche, defesa do Corinthians perde a 'pegada'

Melhor sistema defensivo em metade das últimas oito edições do Brasileiro agora caiu de produção

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

09 Setembro 2018 | 07h00

O Corinthians vive uma rotina de desmanches e retomadas nas últimas temporadas. O campeão brasileiro de 2015 perdeu Renato Augusto, Jadson, Ralf, Malcom e o técnico Tite. No início deste ano saíram Jô, Arana e Pablo. Depois da conquista do Paulista, foram embora mais quatro titulares: Balbuena, Sidcley, Maycon e Rodriguinho. Desta vez, o time sentiu o baque e ainda não conseguiu se reencontrar. Os reforços que chegaram ainda não conquistaram espaços, como o chileno Ángelo Araos e o paraguaio Sergio Díaz, que não estreou. 

Com tantas mudanças, o time perdeu sua grande marca nos últimos anos: a força defensiva. Se o time foi o melhor no quesito em metade das últimas oito temporadas do Brasileirão, agora está apenas em sexto lugar. Cássio e Fagner ainda são as referências na defesa, mas o time não conseguiu substituir o paraguaio Balbuena. 

A defesa é o primeiro desafio do novo treinador, Jair Ventura, substituto de Osmar Loss, auxiliar que foi promovido após a saída de Fabio Carille, em maio. Loss não teve força para reconstruir a equipe e agora voltou a ser auxiliar. 

A indefinição tática chegou também ao ataque. Após a saída de Rodriguinho, que chegou a fazer as funções de camisa 10 e camisa 9, criando e finalizando, o time desaprendeu a atacar. Romero viveu uma fase goleadora, mas está em um momento ruim. Loss colocou as fichas em Roger antes da queda, aposta que deve ser renovada por Jair.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.