Miguel Locatelli/Athletico-PR
Miguel Locatelli/Athletico-PR

Após perder a Recopa, Athletico-PR busca a reabilitação no Brasileirão

O time do técnico Tiago Nunes vem de duas derrotas consecutivas na competição e despencou na tabela

Redação, Estadao Conteudo

02 de junho de 2019 | 13h53

Ainda frustrado por ter perdido o título da Recopa Sul-Americana para o River Plate, após uma derrota por 3 a 0 na última quinta-feira em Buenos Aires, o Athletico-PR vai tentar se reabilitar no Campeonato Brasileiro, competição que deixou de lado justamente para priorizar a disputa continental. O time do técnico Tiago Nunes volta a campo às 16 horas deste domingo, quando enfrentará o Fluminense na Arena da Baixada, em jogo válido pela sétima rodada.

"Uma competição ficou para trás, mas nosso time foi bem. Venceu o primeiro jogo e deixamos a vaga escapar nos últimos minutos. Agora é esquecer, levantar a cabeça e ir atrás de novos desafios", disse Tiago Nunes, preocupado com o desgaste físico do time. "Precisamos suportar este ritmo até a parada para a Copa América", completou.

Em meio aos dois jogos contra o River, o Athletico escalou um time de reservas nas duas rodadas passadas do Brasileirão, sendo derrotado em ambas. Na primeira, por 2 a 0 para o Corinthians, em Curitiba, e na segunda por 3 a 2, de virada, para o Flamengo, no Maracanã. Com isso, despencou na tabela e estacionou nos sete pontos, apenas um a mais do que o Fluminense, adversário deste fim de semana.

Ainda que esteja em busca de reabilitação, tudo indica que, mais uma vez, o time paranaense não irá a campo com força máxima. Isso porque a prioridade do momento é a disputa das oitavas de final da Copa do Brasil. Depois de um empate sem gols no jogo de ida com o Fortaleza, no Castelão, os atleticanos decidem a vaga nas quartas de final na próxima quarta-feira, na Arena da Baixada, precisando de uma vitória para avançar.

A definição do time que vai a campo contra o Fluminense dependerá bastante do desgaste de cada atleta. Alguns nomes mais experientes são os que têm mais chances de serem poupados. É o caso do lateral-direito Jonathan, do zagueiro Paulo André e dos meio-campistas Wellington, Lucho González e Nikão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.