Após perder Özil por lesão, Arsène Wenger nega imprudência

Após perder Özil por lesão, Arsène Wenger nega imprudência

Treinador do Arsenal foi acusado de forçar fisicamente o meia na derrota para o Chelsea. Jogador pode voltar apenas em 2015

Estadão Conteúdo

16 de outubro de 2014 | 11h09

O técnico do Arsenal, Arsène Wenger, negou nesta quinta-feira que tenha sido imprudente ao manter em campo o meia Özil até o fim da partida em que a sua equipe perdeu para o Chelsea pelo Campeonato Inglês, há 11 dias. O jogador alemão sofreu uma lesão no joelho direito e pode não jogar mais nesta temporada.

"O que aconteceu foi que no intervalo o fisioterapeuta me disse que Özil sentia uma dor no joelho, mas que não era nada grave. Ele (Özil) não me disse nada até que a ressonância detectou a lesão. Não de disse nada durante a partida, não sabia nada", garantiu o treinador.

Há uma semana, a Federação Alemã de Futebol explicou que Özil foi submetido a uma ressonância magnética, que detectou que o jogador teve uma ruptura do ligamento externo parcial da articulação do joelho. Diante disso, o meia poderá ficar até três meses afastado do futebol.

Ainda de acordo com a federação, o problema no joelho de Özil foi descoberto quando ele se apresentou com o restante do grupo os jogos da seleção da Alemanha pelas Eliminatórias da Eurocopa de 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.