Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Após polêmica em 2016, Atlético-MG apresenta novo uniforme para a temporada

Fornecedora de material esportivo opta por cerimônia mais conservadora após acusações de machismo e sexismo no ano passado

Estadão Conteudo

08 de abril de 2017 | 09h22

O Atlético-MG realizou uma festa na noite última sexta-feira para apresentar o novo uniforme para a temporada 2017. Ao contrário do ano passado, quando a forma utilizada pelo clube para divulgar a camisa causou polêmica, desta vez a cerimônia transcorreu sem qualquer controvérsia.

A nova fornecedora de materiais esportivos do Atlético-MG, a Topper, apostou em uma apresentação conservadora para evitar polêmicas. Nela, revelou uma camisa principal que leva listras mais finas do que a anterior e que volta a ter o número em vermelho na parte de trás, e não mais em preto. Outra novidade é que os nomes dos jogadores aparecerão dentro dos números.

A segunda camisa atleticana será predominantemente branca, mas com as mangas pretas e numeração em preto. Para goleiros, serão três opções: vermelho, verde e cinza. O clube ainda apresentou uma série de produtos alternativos, além de uma linha feminina.

A festa foi discreta e em nada lembrou a do ano passado, quando o Atlético-MG e a Dryworld, então fornecedora do clube, foram acusados de machismo e sexismo por utilizarem modelos vestindo a parte de baixo de biquínis e expondo suas pernas para apresentar o uniforme. Na época, o desfile gerou muita repercussão nas redes sociais, o que foi ironizado pelo ex-presidente atleticano e atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, que chamou a polêmica de "mimimi".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.