Após polêmica, Léo pede desculpas e elogia diretoria

Após causar polêmica ao fim da rodada deste domingo, Léo recuou nesta segunda-feira e pediu desculpas pelas declarações que atingiram a diretoria do Santos. Através de nota oficial e breve entrevista coletiva, o lateral-esquerdo admitiu ter exagerado nos comentários em relação ao futuro de Paulo Henrique Ganso e disse que aceitaria uma eventual punição do clube.

SANCHES FILHO, Agência Estado

10 de setembro de 2012 | 17h29

"Estou envergonhado com a maneira como me comportei ontem. Não é algo corriqueiro. Já fiz declarações polêmicas. Mas ontem extravasei", afirmou o lateral, que criticou a diretoria santista por causa do impasse envolvendo uma possível transferência de Ganso para o São Paulo. "Não sei o que vai acontecer. Se vai ter punição ou não. Eu, no lugar deles, agiria com alguma punição".

Léo ressaltou que decidiu fazer o pedido de desculpas por iniciativa própria, após reunião com o Conselho Gestor do clube. "Não estou aqui a pedido de ninguém. Estou aqui por livre e espontânea vontade. Jamais pensei em atacar o Conselho Gestor. E, na reunião que tive com eles, não retirei minha responsabilidade", declarou.

"Eu extravasei no contexto geral. E não em defesa de um só atleta. Globalizei o Santos. Falei dos profissionais daqui. Não coloquei foco só nele [Ganso]. Foi a maneira como eu coloquei que não foi correta. Nunca tive problemas no Santos. Não sou de falar e no outro dia retirar. Mas hoje no Brasil não se pode falar o que se pensa".

O lateral disse ainda que resolveu mudar a postura em relação ao episódio por conta de informações recebidas da diretoria na reunião desta segunda. Léo, porém, não deu detalhes sobre o caso. "A diretoria e o Conselho Gestor me esclareceram muita coisa que eu não sabia", destacou.

Antes de Léo, o técnico Muricy Ramalho já havia declarado que a imprensa não tinha todas as informações relacionadas à possível negociação de Ganso.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCLéo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.