Após pressão da estreia, Flamengo volta ao Brasil 'oxigenado' para clássico

Rubro-negro quem acabar com as oscilações e embalar no Campeonato Carioca

Redação, Estadão Conteúdo

06 de março de 2019 | 09h30

A vitória sobre o San José, na altitude boliviana de Oruro, não somará apenas três pontos para o Flamengo no Grupo D da Copa Libertadores. O resultado obtido diante da "ansiedade" do time pela estreia e do obstáculo do ar rarefeito renovou a confiança do grupo após resultados irregulares no Campeonato Carioca.

Na definição do técnico Abel Braga, o triunfo "oxigenou" o elenco. Não tenho dúvida de que, mesmo com ar rarefeito, nós vamos voltar oxigenados", resume o treinador. A dose extra de confiança vem em hora para o time. Passados os tropeços no Estadual e até o incêndio no CT Ninho do Urubu, que não deixou de afetar o elenco, o Flamengo terá mais dois desafios pela frente nos próximos dias.

O primeiro será pelo Carioca, no clássico com o Vasco, no sábado, no Maracanã. Na sequência, no dia 13, quarta-feira que vem, haverá novo duelo pela Libertadores. O desafio da vez será contra a LDU, um dos principais times do grupo, novamente no estádio mais tradicional da cidade.

Será a oportunidade para o Flamengo mostrar que o triunfo na Bolívia não foi um acidente. "Há 38 anos o Flamengo não ganha uma Libertadores e todo ano a cobrança é maior. Isso cria uma certa ansiedade que não é boa para os jogadores, não é boa para ninguém, mas o torcedor é apaixonado", comenta Abel Braga.

Na avaliação do técnico, a altitude de 3,8 mil metros agravou a expectativa da equipe para a estreia. Mas os jogadores responderam bem diante da pressão. "É uma vitória extremamente importante por ser estreia. Começar fora de casa contra uma equipe que é extremamente difícil. Meus zagueiros foram impecáveis. Essa equipe deu uma demonstração de inteligência."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.