AP
AP

Após prisão, ex-jogador do City é julgado inocente de acusação de assédio sexual

Ched Evans chegou a ser condenado a cinco anos de prisão em 2012

Estadão Conteúdo

14 Outubro 2016 | 14h02

Após ficar dois anos e meio preso, acusado de abuso sexual, Ched Evans, ex-jogador do Manchester City e da seleção do País de Gales, foi julgado inocente nesta sexta-feira. Ele chegou a ser condenado a cinco anos de prisão em 2012, menos de um ano depois de manter relações sexuais com uma menor de idade.

No julgamento inicial, o tribunal entendeu que o sexo não foi consensual. Condenado a cinco anos, Evans só foi solto depois de cumprir metade da pena. Em abril deste ano, porém, uma apelação dos advogados de defesa do jogador reabriu o caso, cancelando a sentença inicial.

O novo julgamento durou oito dias e se encerrou nesta sexta-feira, após três horas de deliberações. Um júri formado por sete mulheres e cinco homens entendeu que o ato sexual, em um hotel no norte de Gales em 2011, foi consensual.

Ao receber a sentença, ele abraçou e beijou a noiva, que o acompanhou no tribunal. "Apesar da minha inocência ter sido comprovada agora, eu gostaria de deixar claro minhas desculpas com qualquer um que foi afetado pelos acontecimentos daquela noite", declarou.

Aos 27 anos, Evans atualmente defende o Chesterfield, da terceira divisão da Inglaterra. Atacante, marcou quatro gols em sete jogos nesse seu reinício no futebol. Ele não jogava profissionalmente desde abril de 2012, quando estava em ótima fase no Sheffield United, também na terceira divisão, com 29 gols na temporada. Na seleção de Gales, chegou a fazer dupla de ataque com Bale.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.