Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Após protesto, manifestante diz que 'Maracanã é do povo'

Dupla pedia com cartazes o fim da privatização do principal estádio do Rio de Janeiro

Leonardo Maia - Enviado Especial, O Estado de S. Paulo

30 de junho de 2013 | 18h17

RIO - Dois voluntários que participavam da cerimônia de encerramento da Copa das Confederações, há poucos minutos, no Maracanã, aproveitaram um descuido da organização e interromperam sua coreografia para esticar uma faixa que pedia a anulação imediata da privatização do estádio.

Uma funcionária demorou alguns segundos até que conseguisse arrancar a faixa dos manifestantes. Uma mulher saiu por sua própria conta do gramado. O outro "invasor" continuou dentro do gramado por algum tempo até que um homem o conduzisse a uma saída.O Comitê Organizador Local (COL) informou que os dois intrusos foram encaminhados para fora do estádio sem violência. Os nomes dos manifestantes-voluntários não foram divulgados, segundo o COL "para não dar cartaz" a eles.

Numa área de acesso por onde também transita a imprensa, um integrante da operação da final conduziu a mulher, que bradava: "Fim da privatização do Maracanã. O Maracanã é do povo", enquanto o funcionário vociferava: "Você ficou louca, você sabe o que fez?".

A assessoria de imprensa do Comitê Organizador Local, abordada pela reportagem, ainda buscava informações de quem eram os manifestantes e o que foi feito deles. Apesar do episódio, que ocorreu muito rapidamente durante a apresentação da cantora Ivete Sangalo, a cerimônia continuou sem outros percalços.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa das ConfederaçõesFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.