Divulgação
Divulgação

Após provocação de Vampeta, Audax lucra R$ 3 mil em bilheteria contra o São Paulo

São-paulinos boicotaram partida, que teve público de apenas 2.219 pessoas

Estadao Conteudo

06 Fevereiro 2017 | 14h02

As declarações de Vampeta, presidente do Audax, dizendo que cobraria R$ 100 por um ingresso de arquibancada para o duelo contra o São Paulo, porque queria lucrar com a estreia de Rogério Ceni, causaram péssimo impacto financeiro ao time de Osasco. O duelo, realizado no domingo na Arena Barueri, deu um lucro de apenas R$ 3,3 mil ao clube mandante, que venceu por 4 a 2.

Após as declarações de Vampeta repercutirem, as duas principais torcidas organizadas do São Paulo encamparam um boicote ao duelo. Oficialmente, o público pagante do confronto foi de 2.219 pessoas, mas o borderô divulgado nesta segunda-feira pela Federação Paulista de Futebol (FPF) mostra a "venda" de 420 ingressos de camarote a R$ 10, todos como meia-entrada. Outros 170 ingressos "VIP" foram vendidos por R$ 10, também como meia-entrada.

No total, 590 pessoas, mais de um quarto do público pagante, pagaram, em teoria, um ingresso de apenas R$ 10. Assim, a renda da partida foi de R$ 102,280 mil, enquanto as despesas somaram R$ 98,937 mil. Uma renda líquida de apenas R$ 3.342,20.

Como comparação, o São Bento cobrou R$ 120 pela maior parte dos ingressos para o duelo contra o Corinthians, sábado, em Sorocaba. As entradas mais baratas, para a arquibancada "ferradura", em que muitos torcedores ficam sentados em um barranco, saíram por R$ 90. Sem polêmica, foram vendidas 6.007 entradas, para uma renda líquida de R$ 207 mil.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo FC Audax futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.