Após punição, estádio do Cagliari é liberado à torcida

Equipe poderá abrir os portões de seu novo estádio à torcida a partir da próxima partida

AE-AP, Agência Estado

26 de setembro de 2012 | 16h17

CAGLIARI - A diretoria do Cagliari recebeu nesta quarta-feira a notícia de que finalmente poderá abrir os portões de seu novo estádio à torcida a partir da próxima partida. Há apenas três dias, o clube teve um jogo diante da Roma cancelado por conta de uma atitude precipitada de seu presidente, Massimo Cellino, que convocou a presença dos torcedores mesmo sem a liberação do Observatório Nacional de Eventos Esportivos da Itália.

Após uma inspeção prévia, nesta quarta, a entidade deu luz verde à presença de público no local, que foi aprovado em provas de segurança, o que ainda não havia acontecido no final de semana. Mesmo avisado de que a partida de domingo deveria acontecer com estádio vazio, Cellino chamou a torcida através de um comunicado oficial, o que culminou no cancelamento do confronto, e a Roma foi declarada vencedora, por 3 a 0.

A confusão fez com que o presidente do Cagliari renunciasse ao cargo na última terça-feira, sobre a justificativa de se "defender livremente" e evitar novas implicações ao clube. A nota no site da equipe registrou que "o presidente deixa o cargo convencido de ter atuado sempre de boa fé, na melhor direção para o clube, a cidade e os torcedores, assim como em respeito às regras".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato ItalianoCagliari

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.