Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Após quarentena, Nelsinho Baptista se prepara para retorno do Campeonato Japonês

Brasileiro já definiu o cronograma do Kashiwa Reyson para voltar aos trabalhos, respeitando os protocolos de saúde

Redação, Estadao Conteudo

29 de maio de 2020 | 16h23

O Campeonato Japonês voltará a ser disputado em 4 de julho, informou a organização da competição nesta sexta-feira. O técnico brasileiro Nelsinho Baptista já definiu o cronograma do Kashiwa Reyson para voltar aos trabalhos, respeitando os protocolos de saúde para evitar o contágio do novo coronavírus.

"O estado de emergência foi muito respeitado pela população. A volta aos treinos será em 1º de junho. Nós fizemos treinos online e voltaremos a treinar na próxima segunda-feira em grupos de sete atletas na primeira semana, na segunda semana serão dois grupos de 14 atletas e na terceira semana todos grupos", explicou o treinador.

O Campeonato Japonês voltará com portões fechados para evitar o contágio da covid-19. A medida da volta do futebol foi tomada após relaxamento na quarentena. O Campeonato Japonês teve apenas uma rodada disputada e foi paralisado em 26 de fevereiro. No Japão, a J-League cancelou os rebaixamentos. Ainda assim, as divisões inferiores terão acessos.

Baptista tem larga experiência no futebol japonês. Técnico estrangeiro que mais trabalhou lá, ele soma mais de 15 anos de atuação no Japão, entre idas e vindas. Sua primeira experiência foi em 1990 pelo Verdy Kawazaki, pelo qual foi bicampeão nacional em 1994 e 1995.

Entre 2003 e 2005, o treinador brasileiro comandou o Nagoya. A primeira oportunidade no Reysol foi em 2009. No ano seguinte, ele garantiu o acesso e o título da J-League 2. Além de ter participado do Mundial de Clubes, Nelsinho foi campeão da Copa do Imperador e da Supercopa Japonesa em 2012. No ano de 2013, levou a Copa da Liga Japonesa. Em 2014, festejou a Copa Suruga. Antes de voltar ao Reysol, o treinador passou pelo Vissel Kobe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.