Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Após quatro anos, Wellington Silva poderá defender o Arsenal

Brasileiro não conseguiu visto para trabalhar na Inglaterra em 2011

O Estado de S. Paulo

15 de abril de 2015 | 19h59

Foram quatro anos de espera, mas, enfim, Wellington Silva conseguiu tirar a cidadania espanhola e assim poderá defender as cores do Arsenal. O clube inglês contratou a revelação do Fluminense em 2011, pagando 3,5 milhões de libras (cerca de R$ 9,8 milhões à época) para tirar o jogador do Tricolor. No entanto, o atleta não obteve o visto de trabalho para atuar na Inglaterra.

Para um jogador não-comunitário conseguir visto em solo britânico, ele deve ter participado de pelo menos 75% das partidas nas duas últimas temporadas de sua seleção.

Agora, como cidadão europeu, não há qualquer restrição para que o rápido atacante possa ser comandado por Arsène Wenger. "O que é bom demora a chegar, mas chega e eu o recebo com a maior satisfação do mundo. Nacionalidade espanhola!", escreveu Wellington em sua conta no Twitter, com uma foto do novo passaporte.

Para se tornar cidadão espanhol, o atacante viveu como uma espécie de nômade, sendo emprestado para cinco equipes do país nos últimos quatro anos: Levante, Alcoyano, Ponferradina, Real Múrcia e Almería. O empresário do jogador, Alexandre Soares, já foi notificado que o Arsenal tem a intenção de contar com seu cliente na próxima temporada. Em novembro do ano passado, o jogador foi convocado por Alexandre Gallo para disputar o Torneio Internacional Sub-21 de Wuhan, depois de cinco anos longe das equipes de base da seleção brasileira, e se sagrou campeão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.