Julio Muñoz/EFE
Julio Muñoz/EFE

Após quebrar sequência de empates, Real tenta assumir liderança na Liga dos Campeões

Time merengue enfrenta o Legia Varsóvia fora de casa

EFE, O Estado de S.Paulo

18 Outubro 2016 | 07h01

Em baixa após uma sequência de quatro empates, o Real Madrid lavou a alma no último sábado com uma goleada sobre o Betis por 6 a 1 em Sevilha, pelo Campeonato Espanhol, e nesta terça-feira enfrentará o Legia Varsóvia, no Santiago Bernabéu, na busca pela liderança do grupo F da Liga dos Campeões.

Após duas rodadas pelo torneio continental, o Real é vice-líder da chave, com quatro pontos, levando a pior no saldo de gols para o Borussia Dortmund, com o qual empatou há três semanas, na Alemanha. Também nesta terça, os alemães jogarão contra o Sporting, em Lisboa. Já o Legia segura a lanterna, sem ponto algum e saldo negativo de oito gols, enquanto os portugueses estão em terceiro lugar, com três pontos.

No Real Madrid, o grau de exigência é tradicionalmente alto. Com isso, um início de crise foi instalado com os quatro tropeços seguidos, embora a equipe esteja invicta há 22 partidas, desde a derrota para o Wolfsburg por 2 a 0, em partida de ida pelas quartas de final da Liga dos Campeões da temporada passada.

O técnico Zinedine Zidane contará com o retorno do meia James Rodríguez, recuperado de uma lesão muscular na panturrilha esquerda. No entanto, o francês não deverá forçar o retorno, escalando Kroos, Kovacic e Isco no meio de campo, já que Casemiro e Modric ainda estão machucados. A lista de desfalques tem ainda o zagueiro Sergio Ramos e o lateral-esquerdo reserva Fabio Coentrão.

Sem Casemiro, provavelmente o único brasileiro titular do Real será Marcelo. Na lateral direita, quem vem começando os jogos é Carvajal, mas Danilo tem alguma chance caso o concorrente ganhe descanso. No Legia, a chegada do técnico Jacek Magiera, há três semanas, deu fôlego novo à equipe, que, contudo, ainda vem pecando bastante na defesa. Para mudar isso, o time espera o retorno do zagueiro Pazdan, com problemas físicos.

Na outra partida do grupo, o Borussia Dortmund defenderá a ponta e terá de lidar com muitas lesões. O técnico Thomas Tuchel perdeu nos últimos dias o zagueiro Subotic, o lateral-esquerdo Durm, o volante Sven Bender e os meia-atacantes Schürrle e Reus, que entraram no departamento médico e se juntaram aos também laterais Schmelzer e Guerreiro e ao volante Gonzalo Castro.

Já Jorge Jesus conta com o retorno do zagueiro Semedo, o que faz com que a única baixa entre os considerados titulares é o lateral-esquerdo Jeferson, com uma contusão no tornozelo direito.

O outro time português que entrará em campo nesta terça é o Porto, que ainda não venceu nesta edição da Liga dos Campeões e precisa bater o Club Brugge na Bélgica para manter as chances de classificação. Já o Leicester (6 pontos) e Copenhague (4) lutarão pela liderança no King Power Stadium, casa do atual campeão inglês.

Bem em âmbito nacional, em que são respectivamente líder do Italiano e terceiro colocado do Espanhol, Juventus e Sevilla têm quatro pontos cada e brigam pela ponta do grupo H atuando como visitantes. A 'Velha Senhora' irá à França encarar o Lyon, terceiro colocado, com três pontos, enquanto a equipe da Andaluzia viajará até a Croácia medir forças com o Dínamo de Zagreb, lanterna, sem ponto algum.

O grupo mais embolado entre os que terão ação nesta terça E, cuja tabela de classificação se parece com uma escada: Monaco (4 pontos), Tottenham (3), Bayer Leverkusen (2) e CSKA Moscou (1). O líder visitará o lanterna, enquanto os 'Spurs' irá à BayArena encarar os donos da casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.