Fernando Bizerra Jr./EFE
Fernando Bizerra Jr./EFE

Após queda, Andrés defende técnico do Corinthians: 'O trabalho está sendo bom'

Osmar Loss tem passagem bastante criticada no clube alvinegro desde que substituiu Fabio Carille

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2018 | 07h07

O presidente Andrés Sanchez voltou a defender o trabalho do técnico Osmar Loss mesmo após a queda do Corinthians na Copa Libertadores, na noite desta quarta-feira. O time venceu o Colo-Colo por 2 a 1, mas foi eliminado nas oitavas de final da Libertadores por ter permitido um gol do rival em casa. O time paulista precisava de mais um gol para avançar.

Diante de uma pergunta sobre a permanência do treinador no cargo, ele lembrou a pressão sofrida na passagem de Tite em 2011. "Parece o Tite em 2011. Vai cair, vai cair, vai cair. O trabalho dele está sendo muito bom, o time está crescendo de produtividade. Tivemos de antecipar etapas com jogadores que chegaram, a comissão técnica saiu, chegou uma nova. É preciso tempo", disse o presidente corintiano em entrevista coletiva na Arena Corinthians.

O dirigente afirmou que a derrota no primeiro jogo, no Chile, foi decisiva para a eliminação. "O time foi bem. Fizemos um jogo péssimo no Chile. Perdeu um jogo", resumiu o presidente.

Com a queda na Libertadores, o Corinthians ainda tem dois torneios para disputar. No sábado, o time enfrenta o Atlético-PR, novamente na Arena, pelo Campeonato Brasileiro. O desafio é tirar a diferença para o líder São Paulo (45 a 29).

No momento, o time tem de se aproximar da zona de classificação à Libertadores. Na Copa do Brasil, o Corinthians é semifinalista e disputa uma vaga na final com o Flamengo a partir do dia 12 de setembro. "A Copa do Brasil está mais próxima e vamos buscar pontuar no Campeonato Brasileiro. Vamos trabalhar para ganhar os dois", disse Andrés.

Os jogadores do Corinthians afirmaram que a eliminação na Libertadores não vai influenciar negativamente no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil. "Vamos levar os erros que nós cometemos para não errar no futuro. O time se entregou. A equipe deles foi um pouco malandra, a gente sabia que seria assim, mas eles souberam provocar. Pelo que o time jogou, todos se ajudando e buscando o placar, a gente tem condições de evoluir no Brasileiro e estamos na semifinal da Copa do Brasil", disse o meia Jadson.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.