Após queda, jornais espanhóis veem fim de uma geração

O AS e o Marca deram manchetes mais tranquilas, já o Sport usou a palavra 'fracasso' na capa, além de fazer duras críticas

AE, Agência Estado

19 de junho de 2014 | 09h13

A Espanha amanheceu nesta quinta-feira de ressaca depois de um dos maiores vexames na história do futebol do país. Quatro anos depois do auge, ao conquistar o título da Copa do Mundo da África do Sul, a seleção caiu na primeira fase do Mundial do Brasil com duas derrotas nas duas primeiras partidas. A última, para o Chile, por 2 a 0, na quarta-feira, no Maracanã.

Apesar da eliminação histórica, o teor dos jornais espanhóis era bem mais ameno do que após a goleada por 5 a 1 na estreia diante da Holanda. Boa parte da imprensa do país preferiu exaltar o possível fim da geração mais vitoriosa do futebol local. O As, por exemplo, trazia a manchete: "Foi bonito, mas duro". O jornal lembrou a sequência de títulos da seleção, com as Eurocopas de 2008 e 2012 e o Mundial de 2010, e agradeceu: "Não peçam perdão, devemos muito a vocês".

O diário esportivo Marca seguiu a mesma linha. A capa trazia uma foto de Iniesta isolado no gramado do Maracanã, cabisbaixo, com a manchete: "The End". E explicava: "Lamentável fim da época mais gloriosa de La Roja (apelido dado à seleção espanhola)".

O único jornal esportivo do país a fazer críticas mais pesadas à equipe foi o Sport. O diário também lamentou o fim da geração, ao dizer que "o ciclo de La Roja chega ao fim depois de levar sete gols em duas partidas", mas na manchete destacava: "Fracasso mundial". "A Espanha voltou a fazer o ridículo e é a primeira seleção eliminada", afirmava a publicação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.