John Vizcaino / Reuters
John Vizcaino / Reuters

Após queda na Libertadores, Diego Aguirre pede demissão e deixa o San Lorenzo

Uruguaio deixou o clube depois da derrota nos pênaltis para o Lanús, nas quartas de final

Estadão Conteúdo

22 de setembro de 2017 | 15h01

Menos de 24 horas depois da eliminação do San Lorenzo na Libertadores, o técnico Diego Aguirre comunicou nesta sexta-feira sua saída do clube. O uruguaio pediu demissão depois da derrota nos pênaltis para o Lanús, nas quartas de final, após ser batido por 2 a 0 no tempo normal.

"Tomamos a decisão junto com minha comissão técnica de deixarmos o clube. Sentíamos que tínhamos pela frente um grande objetivo, que era a Libertadores, e não pudemos avançar", declarou Aguirre em entrevista coletiva, admitindo que a classificação às semifinais do torneio garantiria sua sequência no clube.

"A derrota marcou a eliminação no campeonato e, por isso, tomamos a decisão. A nossa continuidade ia se definir pela Libertadores. Entendíamos que deixar o cargo era o melhor para o clube neste momento."

Contratado no meio do ano passado, Aguirre deixa o San Lorenzo após 57 partidas, com 29 vitórias, 12 empates e 16 derrotas. A queda na Libertadores foi ainda mais doída porque o time havia construído uma boa vantagem de 2 a 0 na partida de ida e não soube segurá-la na volta.

O uruguaio, no entanto, afirmou que o destino poderia ter sido diferente se a arbitragem tivesse marcado um pênalti de Andrada em Merlini ainda no primeiro tempo. "Saio com tristeza por não poder ter vencido a Libertadores. Quando a equipe tem bom nível, ficar fora desta forma, com um pênalti que não foi marcado, dói. Mas assim é o futebol. A equipe estava respondendo muito bem."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.