Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Após quinto lugar no Italiano, Roma é vendida para empresário americano por R$ 3,76 bilhões

Novo dono do clube italiano atua nas áreas de vendas de automóveis e hotelaria

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2020 | 07h28
Atualizado 06 de agosto de 2020 | 12h05

A propriedade da Roma, time três vezes campeão do Campeonato Italiano, está sendo transferida de um grupo americano para outro. O clube anunciou nesta quinta-feira um acordo de venda por 591 milhões de euros (R$ 3,76 bilhões) para o Friedkin Group, com sede no Texas, assumir o controle da equipe.

"A transação está prevista para ser fechada no final de agosto de 2020 e está sujeito às condições habituais de conclusão", afirmou a Roma em comunicado divulgado nesta quinta-feira.

"Tenho o prazer de confirmar que chegamos a um acordo com o Friedkin Group pela venda da Roma", disse o atual presidente da Roma, Jim Pallotta, que lidera um grupo de executivos de Boston que adquiriu o clube em 2011.

"Assinamos os contratos hoje à noite e, nos próximos dias, agora trabalharemos juntos para concluir o processo formal e legal que resultará na mudança do clube de mãos", disse Pallotta. "No último mês, Dan e Ryan Friedkin demonstraram seu total compromisso em finalizar este acordo e levar o clube adiante de uma maneira positiva. Tenho certeza que eles serão ótimos futuros proprietários da AS Roma".

O anúncio ocorreu no mesmo dia em que a Roma enfrentará o Sevilla pelas oitavas de final da Liga Europa. O time terminou o Campeonato Italiano em quinto lugar. "Todos nós do Friedkin Group estamos muito felizes por ter tomado as medidas necessárias para nos tornar parte desta cidade e clube icônicos", disse Dan Friedkin, presidente e CEO do Friedkin Group. "Estamos ansiosos para fechar a compra o mais rápido possível e entrar na família AS Roma".

Dan Friedkin, tem 54 anos e dirige uma holding que agrupa uma dezena de empresas, principalmente nas áreas de venda de automóveis e hotelaria. Segundo a Forbes, sua fortuna é mais de US$ 4 bilhões (mais de R$ 21 bilhões), o que faz dele o 504º homem mais rico do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.