Após recusa de Abel Braga, Santos tem 'pressa' em anunciar novo técnico

Diretoria afirmou que técnico não sairá do Al-Jazira, nos Emirados Árabes, por motivos morais

Agência Estado,

28 de fevereiro de 2011 | 14h31

SANTOS - O diretor de futebol do Santos, Pedro Luiz Nunes, concedeu entrevista coletiva no início da tarde desta segunda-feira, 28, na qual explicou os motivos da demissão do técnico Adilson Batista, que foi confirmada oficialmente pelo clube na noite do último domingo. O dirigente ainda assegurou que o clube tem "pressa" para definir o novo comandante da equipe.

Apesar de Adilson ter acumulado apenas uma derrota em 11 jogos sob o comando do Santos, Nunes apontou como principal razão para a saída do técnico o fato de que o time não vinha apresentando um bom futebol nos últimos confrontos. Nunes, porém, admitiu que não sabe se a decisão pela demissão foi acertada.

"De certa forma, o time não vinha se apresentando muito bem. Ainda que os números mostrassem um aproveitamento próximo a 60%, o desempenho do time nos últimos seis jogos não era o esperado. Nós não temos a certeza que tomamos uma boa decisão, só o tempo será o senhor da verdade. Mas, no momento, a melhor decisão foi a que tomamos", disse o diretor de futebol, de forma bastante contraditória.

Nunes ressaltou que o Santos pretende definir o novo treinador "o mais rápido possível", explicando que o desligamento de Adilson foi definido de forma "cordial" com o agora ex-técnico do time. O dirigente ainda revelou que o clube tentou contratar Abel Braga, atualmente no Al-Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, mas ele recusou a possibilidade de treinar a equipe da Vila Belmiro.

"Não houve contato com nenhum profissional antes que conversássemos com o Adilson, por uma questão ética. Ontem (domingo) ainda conversamos com o Abel Braga e a vinda dele está descartada. A questão não é financeira, a questão dele é moral com o Al-Jazira, já que ele quer cumprir o contrato até o final. Mas esperamos definir um novo nome o mais rápido possível", explicou.

Enquanto não define o nome do novo treinador, o Santos voltará a ser comandado por Marcelo Martelotte, auxiliar técnico que assumiu a equipe em 2010, após a saída de Dorival Júnior. O profissional irá dirigir o time no confronto desta quarta-feira, contra o Cerro Porteño, às 21h50, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Grupo 5 da Copa Libertadores da América.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.