Divulgação/Cruzeiro
Divulgação/Cruzeiro

Após recusar primeiro convite, Felipão acerta e é anunciado como técnico do Cruzeiro

Treinador foi confirmado nesta quinta-feira e assinou contrato até dezembro de 2022

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2020 | 20h05

Após rejeitar um primeiro convite, o técnico Luiz Felipe Scolari aceitou o desafio de comandar novamente o Cruzeiro. A contratação do treinador pentacampeão do mundo para substituir Ney Franco, demitido no último domingo, foi confirmada pelo clube na noite desta quinta-feira.

Felipão assinou contrato até o dezembro de 2022 e terá como missão recuperar o time na Série do Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro soma apenas 12 pontos em 15 jogos e ocupa o antepenúltimo lugar, à frente apenas do Oeste de Barueri, o lanterna com sete.

"Não queremos só este ano. Queremos este ano que está terminando, queremos 2021, 2022 e 2023. Vou estar com vocês dando tudo aquilo que posso dar com a minha contribuição do meu conhecimento, de amizades e tudo aquilo que o cruzeiro me deu também. Conto com vocês também", afirmou Felipão, em vídeo divulgado pelo clube.

Antes de comandar a seleção brasileira na conquista do pentacampeonato Mundial em 2002, na Copa do Japão e da Coreia do Sul, com 100% de aproveitamento, Felipão comandou o Cruzeiro nos anos de 2000 e 2001, tendo sido campeão da Copa Sul Minas, em 2001.

A diretoria do Cruzeiro aposta no currículo vitorioso do treinador de 71 anos para recuperar o moral no elenco e iniciar uma reação na Série B. A equipe mineira está 14 pontos do primeiro time que garante o acesso à elite do futebol brasileiro, que é o América-MG, com 26.

Felipão deve desembarcar em Belo Horizonte nesta sexta-feira e acompanhar o jogo contra o Juventude, às 21h30, no Mineirão, pela Série B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.