Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Após recusar a seleção brasileira, lateral é convocado para defender a Rússia

Mário Fernandes vai disputar amistosos contra Costa do Marfim e Bélgica

O Estado de S.Paulo

14 de março de 2017 | 13h02

Depois de ter ficado famoso em 2011 ao recusar uma convocação para a seleção brasileira, então dirigida por Mano Menezes, o lateral-direito Mário Fernandes foi chamado para defender a seleção da Rússia nos amistosos contra Costa do Marfim, no próximo dia 24, em Krasnodar, e contra a Bélgica, no dia 28, em Sochi, que servirão de preparação para a Copa das Confederações de 2017 e para a Copa do Mundo de 2018, ambas competições que ocorrerão em solo russo.

Formado como jogador pelo São Caetano, o atleta depois se transferiu para o Grêmio, no qual se profissionalizou em 2009 e atuou até 2012, ano em que foi contratado pelo CSKA Moscou, time defendido por ele até hoje.

Mário Fernandes se naturalizou russo em julho do ano passado e no mês seguinte chegou a ser convocado para defender a seleção do país. Entretanto, não pôde defender a equipe nacional por ainda não ter completado cinco anos pelo CSKA Moscou, período mínimo exigido para que um atleta possa atuar pela Rússia.

Agora, porém, terá a chance de atuar pela Rússia pela primeira vez, depois de ter vestido a camisa da seleção brasileira em apenas um amistoso, contra o Japão, e também ter sido convocado para outro amistoso contra a Argentina. Como estes duelos não são consideradas partidas oficiais pela Fifa, o atleta está liberado para defender a seleção russa. Caso tivesse disputado apenas um jogo por um torneio oficial, ele não teria liberação da entidade que controla o futebol mundial para atuar pela Rússia.

No CSKA Moscou desde 2012, Mário Fernandes optou por se tornar cidadão russo principalmente pelo sonho de poder disputar a Copa do Mundo de 2018, já que as suas chances de atuar pelo Brasil no Mundial seriam bem pequenas, tendo em vista a concorrência muito maior para fazer parte da seleção do país no qual nasceu.

Em 2011, após ser chamado pela primeira vez para defender a seleção brasileira no Superclássico das Américas, contra a Argentina, o então jogador do Grêmio alegou problemas pessoais para não atender à convocação de Mano Menezes. Naquela ocasião, admitiu que não tinha condições psicológicas para vestir a camisa do Brasil por causa de "problemas particulares responsáveis por uma alta carga de estresse".

Apesar do fato incomum, as portas da seleção não se fecharam para ele e Mário Fernandes depois acabou sendo convocado para defender o Brasil em amistosos contra Japão e Argentina, em 2014, quando foi chamado pelo técnico Dunga. Entretanto, só atuou na goleada por 4 a 0 sobre os japoneses, substituindo o lateral Danilo no decorrer da partida realizada em Cingapura. E a sua passagem pelo time nacional se encerrou por aí, antes de o atleta de 26 anos optar por atuar pela Rússia.

Versátil por estar acostumado a jogar também como zagueiro no setor defensivo, Mário Fernandes foi incluído nesta lista de 27 convocados da seleção russa como meio-campista.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMario Fernandes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.