Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Após reestreia ruim, Marcos Assunção cobra reação do Santos

Volante diz que equipe não pode sofrer duas derrotas seguidas, e promete trabalho duro para pegar a Ponte

SANCHES FILHO, Agência Estado

13 de fevereiro de 2013 | 13h09

SANTOS - Depois de reestrear pelo Santos de forma ruim, no último domingo, na derrota por 3 a 1 para o Paulista, em pleno Pacaembu, o volante Marcos Assunção afirmou nesta quarta-feira, no CT Rei Pelé, que o time da Vila Belmiro tem a obrigação de reagir já no próximo domingo, diante da líder Ponte Preta, às 19h30, em Campinas, pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

O jogador admitiu que ficou devendo um melhor futebol diante da equipe de Jundiaí e exaltou a necessidade de o Santos voltar a vencer diante dos ponte-pretanos. "Time grande não pode sofrer duas derrotas (seguidas). Começa a ficar ruim o ambiente e temos essa semana (só de treinos). Precisamos trabalhar duro e sabemos que vamos jogar com um adversário difícil, que é o líder do campeonato. A gente vai lá para ganhar e não pode ter a segunda derrota consecutiva", ressaltou.

E Marcos Assunção reconhece que ele próprio precisa evoluir muito em relação ao que apresentou no jogo do último domingo. "Pela minha volta, fui muito abaixo. Minha ultima partida foi em 11 de novembro. Mas é normal me sentir um pouco estranho dentro de campo. Ainda mais teve aquela chuva, com o campo molhado. Me prejudicou muito. Até em termos de relacionamento, posicionamento, tudo é novo para mim. Isso (a evolução) virá com o tempo. Com os jogos, vou pegando o ritmo e estarei bem, não só fisicamente, mas como mentalmente e tecnicamente", disse o volante, que iniciou a sua segunda passagem pelo Santos após ter deixado o Palmeiras.

O atleta ainda colocou em segundo plano o fato de não ter lugar garantido no time titular do Santos nem mesmo para este domingo, após atuar como uma referência da equipe do Palmeiras e sido contratado como reforço de peso para a temporada. "Se vou ser titular ou não, isso é uma questão do treinador e do esquema de jogo. Se entrar titular ou se entrar no decorrer da partida, vou entrar muito motivado para fazer o melhor para a equipe. Estou aqui para trabalhar e honrar a camisa do Santos sem nenhum tipo de polêmica e/ou confusão. Estou aqui para trabalhar e ajudar o Santos nas conquistas", completou.

Se vencer a Ponte Preta no domingo, o Santos irá recuperar a liderança do Paulistão, pois está apenas um ponto atrás da equipe de Campinas. Para isso, Marcos Assunção espera começar a fazer valer uma das suas principais qualidades, que é a precisão nas cobranças de faltas. "De onde treino, faço um gol de falta a cada duas cobranças. Se o Neymar sofrer muitas faltas, as chances são grandes. E se o campo estiver bom, melhor ainda. Com o número de faltas que vi nesses jogos, vou tentar acertar pelo menos uma", projetou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.