Após renovação, Kaká diz que quer ficar no Milan 'até o fim'

Meia brasileiro afirma sua identificação com o clube italiano, onde quer entrar para a história

Agência Estado

29 de fevereiro de 2008 | 18h11

Kaká declarou nesta sexta-feira, um dia depois de renovar seu contrato até 2013, o que todo torcedor do Milan queria ouvir do melhor jogador do mundo: "Há alguns meses eu não tinha certeza se ficaria aqui até o fim da minha carreira, mas agora posso e quero dizer que não deixarei mais o Milan", afirmou, em entrevista concedida ao canal de TV oficial do clube. "Quero ficar aqui até o fim da carreira, por toda a vida. Esses últimos verões foram de muita pressão e boatos, e agora me sinto pronto a assumir esse compromisso", prosseguiu Kaká, que disse ter consultado sua mulher, Caroline, e ter obtido dela e de seus pais o aval para tomar a decisão. Revelado no São Paulo, Kaká completará 10 anos de Milan ao fim desse contrato. "Quero me tornar um símbolo, uma bandeira do clube, e um dia talvez ser o capitão", ofereceu-se, para ocupar o lugar de Paolo Maldini, que pendura as chuteiras em junho, perto de completar 40 anos. "Terei 31 anos (em 2013) e espero ainda estar em boa forma. Maldini é um exemplo para mim, assim como Rogério Ceni era no São Paulo. Quero ser como eles", afirmou Kaká. Na alegre entrevista, sobraram elogios até para o colega Pirlo. "Ele é o melhor jogador italiano da atualidade, e é muito importante para nós. Faz muita diferença para o time quando ele está ou não em campo", concluiu Kaká.

Tudo o que sabemos sobre:
KakáAC Milan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.