Rodolfo Buhrer/Reuters
Rodolfo Buhrer/Reuters

Após retorno aos gramados, Adriano pensa em voltar à seleção brasileira

Atacante voltou a jogar futebol em vitória do Atlético-PR

O Estado de S. Paulo

14 de fevereiro de 2014 | 09h51

CURITIBA - A dor de cabeça de Luiz Felipe Scolari para escolher os centroavantes para Copa do Mundo pode aumentar. Após retornar ao futebol em vitória do Atlético-PR contra o The Strongest, por 1 a 0, pela Copa Libertadores, o atacante Adriano disse, nesta quinta-feira, que já pensa também em voltar para a seleção brasileira.

"Vou melhorando aos poucos. Quem sabe ainda não consigo chegar à seleção. Espero trabalhar para poder conseguir isso, chegar novamente a seleção brasileira", disse o Imperador, logo após atuar por 8 minutos no jogo.

Aos 31 anos, Adriano não fazia uma partida oficial desde 4 de março de 2012, quando ainda atuava pelo Corinthians em clássico contra o Santos. Depois de alguns dias, o atacante foi dispensado e desde então, ensaiou retornos ao futebol sem sucesso para Flamengo e Internacional. O retorno definitivo do atacante aos gramados só aconteceu depois do camisa 30 ter assinado contrato nesta quarta-feira, depois de treinar por dois meses no Atlético-PR.

Pela seleção brasileira, a última partida de Adriano aconteceu no dia 2 de março de 2010, em amistoso contra a Irlanda. Na partida, em que o Brasil ganhou por 2 a 0, em Londres, o jogador começou como titular, mas não atuou bem e foi substituído por Grafite. O jogo foi o último teste que a seleção realizou antes da convocação do técnico Dunga para a Copa da África do Sul.

Para o Mundial de 2014, que acontece no Brasil, as vagas de centroavante continuam em aberto. Artilheiro da Copa das Confederações, Fred sofre com lesões. Constantemente convocado, Jô, do Atlético-MG também não está garantido. Além dos atacantes de Fluminense e Atlético-MG, respectivamente, outros nomes especulados para a lista final de Felipão são Alan Kardec, Hernane, Diego Tardelli e Leandro Damião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.