Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Após retorno aos treinos na seleção, Danilo celebra recuperação rápida

Lateral-direito não atuou nas vitórias do Brasil sobre Costa Rica e Sérvia

Almir Leite e Leandro Silveira, enviados especiais / Sochi, O Estado de S.Paulo

29 Junho 2018 | 15h58

A volta de Danilo foi a principal novidade do treinamento da seleção brasileira nesta sexta-feira em Sochi, no primeiro trabalho de preparação para o duelo com o México, segunda-feira, às 11 horas (de Brasília), em Samara, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Livre da lesão na região do quadril direito, o lateral-direito celebrou a rápida recuperação e agora espera voltar a ser aproveitado por Tite.

+ Casemiro minimiza chance de colchão ter lesionado Marcelo: 'Já dormi no chão'

+ Dirigente mexicano crê em vitória sobre o Brasil: 'Viemos jogar 7 partidas'

"Graças a Deus, estou de volta. Hoje pude treinar normalmente com a equipe, graças ao trabalho da fisioterapia, dos médicos e da preparação física. Trabalhei quase o dia inteiro enquanto estive de fora. Estou muito satisfeito. Hoje pude treinar numa intensidade muito alta com toda a equipe e, o que é mais importante, posso estar à disposição e ajudar", disse Danilo, em entrevista à CBF TV.

Com a lesão sofrida por Daniel Alves no joelho, problema que o impediu de até ser convocado para a Copa do Mundo, Danilo foi definido por Tite como titular da lateral direita da seleção brasileira para o torneio na Rússia. E foi assim no duelo com a Suíça, o empate por 1 a 1, em que o jogador do Manchester City teve atuação discreta.

Na véspera do compromisso seguinte, porém, Danilo sofreu lesão na região do quadril direito quando treinava no local do confronto, em São Petersburgo. Ele, então, foi substituído por Fagner, que teve atuações seguras diante de Costa Rica e Sérvia. Assim, Tite pode mantê-lo como titular contra o México, ainda que Danilo já esteja à disposição.

 

Independentemente se será escalado ou não, Danilo prevê um duelo complicado para o Brasil na segunda-feira. E ele destaca que o México deverá ter uma postura diferente da apresentada pelos outros rivais do Brasil na Copa, não apenas se contentando em defender.

"Vai ser um jogo extremamente difícil, um pouco diferente do que temos enfrentado, que eram seleções obedientes taticamente e com um plano de jogo bem montado. O México tem muita qualidade e jogadores muito rápidos. Vamos ter que entrar concentrados para poder passar", alertou o lateral-direito.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.